Um ingrediente chave da vida é detectado no espaço profundo
Categorias:

Um ingrediente chave da vida é detectado no espaço profundo

O Centro de Astrobiologia da Espanha liderou uma equipe científica internacional que detectou um ingrediente-chave da vida no espaço.
Que elemento é?
Onde foi encontrado?
Quão importante é em algumas teorias da origem da vida?

Neste artigo, explicamos tudo sobre essa descoberta relevante.

O ingrediente chave da vida foi encontrado
A descoberta foi feita com dados coletados do radiotelescópio IRAM de 30 metros em Granada, na Espanha.
A descoberta foi feita com dados coletados do radiotelescópio IRAM de 30 metros em Granada, na Espanha.

O ingrediente chave da vida que foi detectado no espaço é chamado de etanolamina.

Esta molécula contém quatro dos elementos químicos fundamentais:

Nitrogênio, hidrogênio, carbono e oxigênio.

A etanolamina (NH2CH2CH2OH) é capaz de atuar como ancestral do aminoácido glicina. Esse ingrediente também está relacionado aos fosfolipídios, ou seja, as moléculas que compõem as membranas celulares.

Estes últimos são considerados essenciais na origem das células e, portanto, da vida.

Além disso, participam da liberação de ácidos graxos, gorduras e colesterol. Em anos anteriores, a etanolamina foi encontrada em meteoritos, mas as quantidades da molécula eram pequenas. Assim, os cientistas nunca tiveram certeza se essa era sua forma original ou apenas o resultado de decomposições de outros compostos orgânicos.

Onde a etanolamina foi encontrada no espaço?

O grupo de estudos que fez a descoberta é liderado por especialistas do CAB ou Centro de Astrobiologia da Espanha. Esta equipe explicou que a descoberta foi feita em uma nuvem molecular, especificamente G + 0,693-0,027.

A nuvem está perto do centro galáctico. A pesquisa utilizou o radiotelescópio do Observatório Yebes, em Guadalajara, que tem 40 metros de diâmetro.

O telescópio IRAM de 30 metros é um radiotelescópio para observações astronômicas na faixa milimétrica de comprimentos de onda.
O telescópio IRAM de 30 metros é um radiotelescópio para observações astronômicas na faixa milimétrica de comprimentos de onda.

A equipe também usou o IRAM, o radiotelescópio de Pico Veleta com 30 metros de diâmetro. Os pesquisadores relataram que 14 frequências de etanolamina foram detectadas, as quais são claras e inequívocas.

O que o local onde foi detectado ensina sobre etanolamina?

Os pesquisadores afirmaram que isso mostra que a molécula provavelmente se formou no espaço. Isso foi concluído levando em consideração que a etanolamina é abundante no meio interestelar.

A descoberta explica porque as quantidades anteriormente encontradas em meteoritos eram pequenas.

Após sua formação, pode ser que o ingrediente-chave da vida tenha chegado aos asteroides (de onde vêm os meteoritos) por meio dos grânulos que os constituem.

Portanto, acredita-se que a molécula tenha entrado na Terra primitiva durante bombardeios de meteoros e cometas.

O pesquisador do CAB, Izaskun Jiménez-Serra, explicou que, por meio dos impactos, poderia entrar até um bilhão de litros da molécula detectada.

Como dissemos antes, é provável que essa grande transferência de etanolamina para a Terra primitiva tenha sido alcançada com impactos de meteoritos.



Veja também:

Vários radiotelescópios recebem um sinal misterioso de nossa galáxia

Cientistas descobrem um tipo de padrão oculto vindo misterioso sinal espacial

O maior radiotelescópio do mundo procurará civilizações extraterrestres

Os astrônomos receberam um sinal extraterrestre de um exoplaneta



Outras descobertas na mesma região da Via Láctea

Na mesma região em que foi detectada a etanolamina, também foi encontrada outra molécula relevante no processo de formação dos aminoácidos.

A descoberta foi da propargilimina

Uma nova pesquisa sugere que a etanolamina pode ter semeado em um disco protoplanetário do meio interestelar.
Uma nova pesquisa sugere que a etanolamina pode ter semeado em um disco protoplanetário do meio interestelar.

Notavelmente, é mais instável do que a etanolamina, mas tem a mesma prosperidade no ambiente interestelar. Entre as outras moléculas que também foram detectadas no espaço estão o ácido tiomórfico e a hidroxilamina.

Eles também são de grande interesse no campo astro biológico.

Além disso, a primeira vez que foram encontrados no espaço, o CAB ou Centro de Astrobiologia estava no grupo de estudo.

Relação da etanolamina com a origem da vida

Por que os cientistas consideram relevante a chegada dessa molécula na Terra primitiva?

Descoberta de etanolamina (NH2CH2CH2OH) na nuvem molecular G + 0,693-0,027 localizada no centro de nossa Galáxia. Câmera IRAC4 a bordo do Telescópio Espacial Spitzer (NASA)
Descoberta de etanolamina (NH2CH2CH2OH) na nuvem molecular G + 0,693-0,027 localizada no centro de nossa Galáxia. Câmera IRAC4 a bordo do Telescópio Espacial Spitzer (NASA)

Simulações de condições químicas foram realizadas e confirmaram que a molécula recentemente descoberta no espaço poderia colaborar na geração de fosfolipídios.

A produção de fosfolipídios juntamente com os ácidos graxos, grupo fosfato e glicerol pode ter contribuído para a evolução das membranas celulares primitivas.

Isso tem grandes implicações para estudos ou pesquisas que enfoquem a origem da vida em nosso planeta. É por isso que a etanolamina é chamada de ingrediente-chave da vida.

Futuro da equipe liderada pelo Centro de Astrobiologia da Espanha

O CAB descobriu a presença de várias moléculas no espaço, porém, seu trabalho não terminou. O Centro afirmou que seguirá em busca de outros componentes tão importantes quanto a etanolamina.

Os resultados da pesquisa foram publicados na:

revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS).

Deixe sua opinião nos Comentários!
E compartilhe com seus amigos…
Convidamos você a nos seguir em nossa página no Facebook, para ficar por dentro de todas as novidades que publicamos:

Deixe um Comentário