As 10 mais antigas e misteriosas necrópoles do mundo

Necrópoles, ou cidades dos mortos, aparecem em todo o mundo desde os tempos antigos até os dias modernos. Algumas se esparramavam devido à superlotação, enquanto outras eram meticulosamente planejadas. Em alguns casos, são réplicas exatas do mundo dos vivos.

As 10 mais antigas e misteriosas necrópoles do mundo.

Onde escolhemos ser enterrados, com quem e com quais objetos revelam nossas esperanças, medos e desejos.

10 Wadi-Us-Salaam

10- wadi us salaam
10- wadi us salaam

Wadi-us-Salaam (“Vale da Paz”), que contém cinco milhões de mortos, é o maior cemitério do mundo. Esta necrópole supera Najaf, no Iraque, a cidade que a rodeia.

Com uma população de 600.000 habitantes, Najaf é a terceira cidade mais sagrada para os muçulmanos xiitas – depois de Meca e Medina. Há uma crença xiita de que todos os fiéis devem ser enterrados em Wadi-us-Salaam, não importa onde são originalmente.

As pessoas foram enterradas em camadas por mais de 1.500 anos na esperança de estar perto de Ali – primo em primeiro grau e genro de Maomé. Wadi-us-Salaam abrange mais de 8 quilômetros quadrados (3 mi 2 ) e ainda está crescendo.

Em 2003, a milícia iraquiana lançou operações de ataque e fuga da necrópole – emboscar inimigos nas sombras dos mausoléus e criptas. Ironicamente, esse conflito expandiu o cemitério em 40%.

 

9 O Scavi

9-scavi
9-scavi

Cinco histórias escondidas sob a Basílica de São Pedro, na Cidade do Vaticano, é a Necrópole do Vaticano (“Scavi”), um enorme complexo subterrâneo construído em torno dos ossos de São Pedro.

Ele foi martirizado em Roma durante o reinado de Nero. O complexo contém três níveis que vão de 27 aC a 476 dC. Há sepulturas pagãs do primeiro século, bem como locais do século V, com cristãos enterrados ao lado de pagãos.

As ruas da necrópole são análogas exatas da Roma antiga, exceto que há túmulos em vez de lojas e residências. Em 1965, os arqueólogos alegaram ter descoberto os ossos de São Pedro quando encontraram um marcador em grego, “Pedro está aqui”.

O túmulo de São Pedro está diretamente sob o altar central e a cúpula da Basílica. Em 2013, o Papa Francisco tornou-se o primeiro pontífice a visitar o túmulo de São Pedro.

 

8 Necrópolis de Silwan

8- silwan necropolis
8- silwan necropolis

No Monte das Oliveiras, em Jerusalém, pode-se encontrar o mais antigo cemitério continuamente usado no mundo: a necrópole de Silwan. O sitio é usado há três milênios desde a origem da cidade. Com 150.000 sepulturas, Silwan é significativo pela fé compartilhada.

A tradição sustenta que o Messias retornará a Jerusalém do Monte das Oliveiras – e aqueles que repousarem no monte serão os primeiros a serem salvos. Esta cidade dos mortos é um espelho de Jerusalém. Em tempos de conflito, Silwan se expande.

Embora a necrópole esteja situada em grande parte na parte oriental de Jerusalém Oriental, é considerada de extrema importância para a identidade judaica.

Estudos usando tecnologia do século 21 estão em andamento para mapear a localização de cada túmulo.

Veja também: Descoberta antiga necrópole com “mensagem da vida após a morte”

7 Monterozzi

7- Monterozzi
7- Monterozzi

Monterozzi, é um complexo de cemitérios etruscos de 6.000 covas cortadas em rocha, fica nas colinas a leste de Tarquinia, na Itália. O cemitério é uma réplica de um plano de cidade etrusca. As câmaras funerárias são modeladas nos interiores das casas.

A arte e o layout vívidos no sitio fornecem uma janela para a única cultura urbana na Itália pré-romana.

Monterozzi é famosa por seus 200 túmulos pintados, alguns dos quais datam do século VII aC. Eles são considerados “o primeiro capítulo da história da grande pintura italiana”.

Os túmulos são réplicas de casas etruscas e seus elaborados afrescos retratam cenas vívidas da vida. Os historiadores acreditam que os antigos pintores gregos foram atraídos para cá pelo lucrativo trabalho da pintura tumba etrusca.

Dado que perdemos a pintura helenística para a história, os especialistas usam esses exemplos etruscos para extrapolar a aparência da antiga pintura grega.

 

6 Kiev Pechersk Lavra

6- Kiev Pechersk Lavra

Fundado em 1051, o Mosteiro de Pechersk Lavra, em Kiev, fica no topo das colinas onde circundam as águas do Rio Dnieper. Os monges escolheram a localização porque fica acima de um vasto complexo de cavernas, que foi usado como local de sepultamento por mais de 700 anos.

As cavernas contêm os restos do fundador do mosteiro – St. Antônio das Cavernas – assim como outros irmãos, monges, ascetas e santos. O clima e o solo mumificaram os corpos, que ainda estão em exibição.

Ao longo dos séculos 16 e 17, houve um boato de que o complexo da caverna era tão vasto que chegou até Moscou a Novgorod.

Embora isso seja um exagero, ninguém sabe até que ponto essas catacumbas são profundas. Curiosamente, o enorme sistema de cavernas inclui um museu de microminiaturas.

Os microscópios são usados para ver as obras-primas de Mykola Syadristy, incluindo um cabelo oco contendo uma rosa em miniatura e o menor livro do mundo.

 

5 Necrópole de Solnitsata

5- A Solnitsata
5- A Solnitsata

Ao norte de Provadia, na Bulgária, os arqueólogos desenterraram uma necrópole de Solnitsata (“Salt Pit”), a cidade mais antiga da Europa. O local data de 4300 aC, um milênio antes da civilização grega.

A parede alta e espessa que cerca a cidade de cerca de 300 pessoas sugere que os habitantes protegiam recursos valiosos. Acredita-se que eles vendiam sal, um mineral valioso que era frequentemente usado como moeda nos tempos antigos.

O achado mais intrigante na necrópole de Solnitsata é um pingente de ouro de 24 quilates que se acredita ter de 200 a 300 anos mais velho que a necrópole. Isso torna o mais antigo ouro processado na Europa, se não no mundo.

Descobertas semelhantes de ouro na região, nas necrópoles de Varna e Tell Yunatsite, sugerem a presença de uma complexa sociedade pré-histórica.

A análise do esqueleto também revelou que os habitantes de Solnitsata bebiam leite de vaca muito antes de qualquer outra sociedade.

Veja também: Encontrado antigo esqueleto revela como era a crucificação  –   O Túmulo de Jesus esta no Japão?

4 Hipogeu de Hal Saflieni

4- hal saflieni hypogeum
4- hal saflieni hypogeum

Em 1902, um pedreiro descobriu uma necrópole subterrânea na colina acima do Grande Porto de Valletta, Malta. O hipogeu de Hal Saflieni datava de 4000 a 2500 aC. É o único templo subterrâneo pré-histórico conhecido no mundo.

O Hypogeum é feito de três camadas sobrepostas umas às outras. Os construtores usavam ferramentas de pedra e chifres para atravessar o calcário.

Além dos 7.000 restos humanos, artefatos como miçangas, cerâmica, amuletos e esculturas lançam luz sobre a vida maltesa do período. O Hypogeum contém a única arte rupestre neolítica em Malta.

O ambiente preservava pinturas nas paredes de figuras e espirais vermelhas, que teriam desaparecido da existência há muito tempo acima do solo. Acreditava-se que os enterros foram realizados em etapas. Primeiro, a carne foi deixada apodrecer do osso e, em seguida, os cadáveres foram movidos para as câmaras laterais e cobertos com ocre vermelho.

Indivíduos foram enterrados comunitariamente com ossos empilhados em cima de ossos.

 

3 Necropolis Of Wari Kayan

3- Necropolis Of Wari Kayan
3- Necropolis Of Wari Kayan

Entre 1925 e 1929, arqueólogos conduziram expedições para a costa dos Andes Centrais no Peru para explorar uma cidade dos mortos conhecida como Wari Kayan, que foi construída pela cultura Paracas.

Datanda de 2.000 anos, o sitio continha 429 corpos naturalmente mumificados em feixes (fardos). O ar seco dos Andes peruanos mantinha o cabelo, os dentes e a carne intactos.

Os corpos das múmias Wari Kayan estão tão bem preservados e os cientistas puderam determinar sua dieta: uma mistura de frutos do mar e culturas terrestres.

Têxteis bordados magníficos, alguns dos quais levaram 50.000 horas para serem completados, são o achado mais significativo nas múmias.

As múmias foram enterradas com jardas dessas obras-primas, que agora podem ser encontradas em museus em todo o mundo. Os desenhos elaborados oferecem pistas tentadoras para o mundo espiritual obscuro da cultura Paracas.

 

2 Necrópole de Ordek

2- Necrópole de Ordek
2- Necrópole de Ordek

Descoberto em 1934 na orla da China no Taklamakan Desert, Necrópole de Ordek é uma cidade do spanning mortos entre 2000 aC a 300 dC. O complexo continha cerca de 300 múmias enterradas de cabeça para baixo cobertas em couro. O clima seco e o solo salgado preservaram os corpos.

O elemento mais chocante das múmias era o cabelo leve não asiático e a alta estatura. Análises de DNA revelaram que essa população era de ascendência mestiça e siberiana.

Seus tecidos xadrez sugerem o uso de um tear – comum na Europa na época, mas desconhecido na China. Esses elementos foram usados ​​para sugerir que eles representam o limite oriental dos falantes indo-europeus e um capítulo esquecido na história chinesa.

A Necropolis de Ordek também forneceu o queijo mais antigo conhecido. Aglomerados foram descobertos em torno dos rostos e pescoços das múmias.

 

1 Orthi Petra

1- orthi petra
1- orthi petra

Localizada a 30 quilômetros de Rethymnon em Creta, a Orthi Petra oferece uma janela para o mundo homérico. A necrópole é parte de um sítio arqueológico maior, que foi habitado á 3000 aC na bizantina.

As câmaras funerárias de Orthi Petra contêm elementos retirados diretamente das linhas da Ilíada, incluindo uma pira funerária datada de 800 aC. Orthi Petra também contém um memorial cenotáfio – o primeiro túmulo do Soldado Desconhecido na história – datado de 670 aC.

Uma das descobertas mais intrigantes na Orthi Petra foi o enterro de quatro mulheres relacionadas. Um tinha 72 anos e acreditava ser uma sacerdotisa. As outras três eram jovens e acreditavam ser suas protegidas.

Todas as mulheres foram enterradas com ricos adornos, refletindo o comércio próspero da ilha com o Egito, Grécia e o Oriente Próximo. O fato de essas mulheres terem escolhido ser enterradas juntas, sem um homem, fala muito sobre as políticas sexuais da antiga Creta.

 

Fonte: aqui

Comente