O efeito catastrófico da Lua
Categorias:

NASA avisa que a Lua causará uma catástrofe global ao nosso planeta em 2030

A Lua é o único objeto no céu noturno que parece que podemos estender a mão e tocá-la. Ela paira sobre nós, percorrendo de forma confiável suas fases.
Mas e se a Lua desaparecesse repentinamente?
Nosso planeta afundaria no caos ou absolutamente nada aconteceria?

A resposta talvez seja mais sutil do que você imagina.

Esquema representativo do movimento periódico das marés: aumento (preia-mar) e diminuição (baixa-mar) do nível do mar devido à atração gravitacional exercida pela Lua e pelo Sol.
Esquema representativo do movimento periódico das marés: aumento (preia-mar) e diminuição (baixa-mar) do nível do mar devido à atração gravitacional exercida pela Lua e pelo Sol.

Um fato importante sobre a Lua:

As marés são causadas pela atração gravitacional da Lua e do Sol. A maior maré do mundo está na Baía de Fundy, Canadá. A diferença entre preia-mar e baixa-mar pode ser de até 16,3 metros.

E se a Lua não existisse?

Se a Lua desaparecesse repentinamente como em um filme de ficção científica, não só nossas noites seriam mais escuras, como nosso mundo mudaria radicalmente, embora no início fosse difícil ver as diferenças.

Os efeitos mais imediatos de um mundo pós-lua seriam pequenos. No entanto, a longo prazo, isso teria um impacto catastrófico em todos nós aqui na Terra.

Portanto, podemos dizer que os efeitos da Lua em nosso planeta são inegáveis.

E agora, um novo estudo sobre as enchentes da maré alta prevê que meados da década de 2030 poderá ser uma catástrofe global nas regiões costeiras provocada pela lua.

O efeito catastrófico da Lua

Liderado por membros da Equipe de Ciência da Mudança do Nível do Mar da Universidade do Havaí, o estudo diz que enchentes de maré alta podem ocorrer com mais frequência em várias costas dos Estados Unidos.

O efeito catastrófico da Lua

As cheias na maré alta já ocorrem regularmente em muitas comunidades costeiras, uma vez que a água inunda habitualmente ruas, pátios e empresas.

De acordo com o estudo, dois fatores podem convergir para piorar as enchentes na maré alta:

O aumento do nível do mar devido às mudanças climáticas e à lua.

A órbita da lua é devido à sua “oscilação” regular. Isso é completamente natural, diz a NASA, e foi registrado em 1728.

O meio do ciclo de 18,6 anos da lua cria marés altas mais baixas e marés baixas mais altas; o outro cria preia-mares mais altas e ainda mais baixas.

Mas a  NASA diz que o aumento global do nível do mar provavelmente causará o aumento das marés altas, e um dos coautores do estudo, o chefe da equipe de ciência da mudança do nível do mar da NASA, Ben Hamlington, explicou que, como as águas estarão mais altas, o ciclo lunar poderia ter um efeito muito mais dramático.

Estamos cada vez mais perto dos limites de inundação ou do ponto de inflexão nessas localidades costeiras”,

disse Hamlington.

A mesma variabilidade no passado que não causava enchentes, porém agora vai causar muitas enchentes.”

Marés são as alterações cíclicas do nível das águas do mar causadas pelos efeitos combinados da rotação da Terra com as forças gravitacionais exercidas pela Lua e pelo Sol.
Marés são as alterações cíclicas do nível das águas do mar causadas pelos efeitos combinados da rotação da Terra com as forças gravitacionais exercidas pela Lua e pelo Sol.

As marés altas já ultrapassam os limites de inundação conhecidos nos Estados Unidos.

O Escritório Nacional de Administração Oceânica e Atmosférica (NOAA) relatou que as enchentes da maré alta estabeleceram recordes contínuos em 2019.

Mas o estudo mostra que as marés altas excederão os limites das cheias com mais frequência.

As inundações, prevê o estudo, também podem começar a ocorrer em “aglomerados” com duração de um mês ou mais, dependendo de como o sol, a lua e a Terra estão posicionados.

As áreas baixas perto do nível do mar estão cada vez mais em risco e sofrendo devido ao aumento das inundações, e isso só vai piorar”,

disse Bill Nelson, administrador da NASA.

A combinação da atração gravitacional da lua, aumento do nível do mar e a mudança climática continuará a exacerbar as inundações costeiras em nossas costas e ao redor do mundo.”



Sugerimos que você veja:

Tempestade solar de 500 km por segundo pode afetar tecnologia na Terra

Os cientistas confirmam que uma poderosa explosão solar de classe X atingiu a Terra, e o pior ainda está por vir

Uma misteriosa “estrutura” fotografada na cratera Aristarchus na lua

Google moon revela misteriosa estrutura superfície da lua



Catástrofe iminente?

Hamlington disse que as cidades e áreas urbanas ao longo da costa que sofrem as enchentes da maré alta têm agido para prevenir danos futuros, mas a avaliação do estudo indica que há enchentes mais longas ocorrendo mais rápido do que o previsto.

As inundações devastadoras ocorreram depois que grandes áreas da Europa Ocidental experimentaram níveis históricos de chuvas, com mais de um mês de chuva caindo em 24 horas.
Uma mulher está tentando se mover em uma rua inundada após fortes chuvas. (Foto de BRUNO FAHY/Belga/AFP)

Muitas das projeções que nós, como cientistas, damos aos planejadores costeiros, vão até 2100, mas os impactos que veremos devido à combinação desses diferentes fatores e processos são muito mais próximos”,

explicou Hamlington.

Veremos essas grandes mudanças dramáticas nas próximas duas décadas.”

E, infelizmente, já vimos os efeitos catastróficos das enchentes. Pelo menos 189 pessoas morreram e outras centenas continuam desaparecidas nas enchentes apocalípticas na Europa.

As inundações, causadas por tempestades sem precedentes, afetaram partes do oeste da Alemanha antes de avançarem para a Bélgica e a Holanda.

Cidades inteiras, ferrovias e rodovias foram arrasadas no que foi considerado o “pior desastre natural” dos últimos séculos.

Como o novo estudo aponta, a mudança em um ciclo lunar natural combinada com o aumento do nível do mar devido à mudança climática causará um aumento rápido e “dramático” nas inundações ao longo da costa do mundo na década.

Embora talvez já a começamos a sentir os efeitos…

O estudo foi publicado na revista científica Nature Climate Change

E você amigo(a) leitor(a) acha que as costas desaparecerão em alguns anos?

Deixe sua opinião nos Comentários!
E compartilhe com seus amigos…

Convidamos você a nos seguir em nossa página no Facebook, para ficar por dentro de todas as novidades que publicamos:

Deixe um Comentário