NASA diz que poderá haver uma ‘Mini Era do Gelo’ em 2020

A pandemia de coronavírus chegou ao fim. Esta não é uma “notícia falsa” e também não é uma piada.

É o que parece, já que os governos, com a ajuda da mídia, querem nos fazer entender. Quase todos os países do mundo iniciaram a chamada de redução, incluindo o Reino Unido, a França ou a Espanha.

Mas a realidade é outra:

Mais de 300.000 mortos e mais de 4.600.000 infectados em todo o mundo.

Além disso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou os países que estão começando a diminuir as restrições que enfrentamos

em um momento de preparação, não de celebração”.

E acrescenta que os países europeus devem estar preparados para uma segunda onda mortal de coronavírus.



A inclinação no eixo de um exoplaneta poderia afetar ou extinguir toda vida

O norte magnético da Terra pode estar mudando devido a misteriosas “massas” subterrâneas

Uma “porta” é descoberta na Antártica, alimentando muitas teorias

Asteroide reforça a tese de que há um planeta oculto no sistema solar

Pesquisadores dizem que uma pedra rúnica antiga prevê o Ragnarök: Destruição cataclísmica do cosmos



No entanto, o que as pessoas não sabem é que enfrentamos uma ameaça muito mais perigosa do que um vírus de origem desconhecida.

O sol está mais frio?

Cientistas da Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço (NASA) confirmaram que o mínimo solar que eles previram há três anos foi atingido.

NASA diz que poderá haver uma 'Mini Era do Gelo' em 2020

O Sol está cheio de manchas solares, quase impossíveis de ver a olho nu. Essas manchas solares sofrem constantemente explosões solares ou explosões magnéticas que produzem radiação ultravioleta e iluminam a Terra.

No entanto, a cada 11 anos, aproximadamente, manchas solares desaparecem e ocorre um mínimo solar.

Segundo a NASA, o número de manchas solares atingiu o pico em 2014 e era esperado que atingisse um ponto baixo por volta de 2019 a 2020.

Dean Pesnell, cientista do Solar Dynamics Observatory da NASA, disse que, durante um mínimo solar, a energia usada para causar explosões solares em manchas solares cria buracos coronais ou áreas na atmosfera do Sol, onde partículas escapam e burracos são abertos.

Segundo Pesnell, esses buracos, que duram cerca de seis meses, são responsáveis ​​por rupturas na magnetosfera da Terra, especialmente quando partículas solares atingem o campo magnético da Terra.

Catástrofe iminente?

NASA diz que poderá haver uma 'Mini Era do Gelo' em 2020

O astrônomo Tony Phillips alertou que a contagem de manchas solares pode produzir um dos “mínimos solares mais profundos” do sistema solar.

A pesquisadora Irina N. Kitiashvili, que usou os modelos da NASA, fez uma projeção semelhante para o atual ciclo solar, postulando que ele poderia ser “o mais fraco dos últimos 200 anos”.

Isso poderia significar uma repetição da baixa de Dalton, que foi um dos períodos climáticos mais extremos da história.

O mínimo de Dalton durou mais de três ciclos solares, de 1790 a 1830, e resultou em forte nevasca, geada profunda e resfriamento geral em todo o mundo.

A baixa de Dalton também causou mudanças climáticas drásticas, terremotos, erupções vulcânicas e fome.

As temperaturas caíram para 2° C em 20 anos, o que pode não parecer muito, mas devastou a produção mundial de alimentos e causou fome generalizada.

A miséria foi exacerbada por erupções vulcânicas poderosas (não relacionadas).

NASA diz que poderá haver uma 'Mini Era do Gelo' em 2020

Em 10 de abril de 1815, a segunda maior erupção vulcânica em 2.000 anos ocorreu no Monte Tambora, na Indonésia, matando mais de 71.000 pessoas e diminuindo ainda mais a temperatura quando gigantescas nuvens de cinzas bloquearam os raios do sol.

O ano seguinte ficou conhecido como o

ano sem verão” ou “mil e oitocentos até a morte”,

depois que a neve caiu em julho e milhares de pessoas morreram na fome, causando distúrbios alimentares por toda a Europa.

Mas não terminou aqui.

Este fenômeno foi seguido por uma epidemia de tifo. Antes de tudo isso, o mínimo de Maunder, que ocorreu entre 1645 e 1715 no hemisfério norte, fez com que a atividade vulcânica gerasse uma estratosfera mais fria, enquanto a baixa atividade solar produzia temperaturas superficiais mais baixas.

Alguns se referiram a esses períodos como uma

mini idade do gelo” ou “pequena idade do gelo”.

Mas o mínimo de Dalton seria muito maior do que o de Maunder e enfrentaremos um cenário dificilmente previsível. O mais parecido seria algo como o inferno na Terra.

As mudanças climáticas compensarão o resfriamento extremo?

Com uma postagem no blog de fevereiro intitulada

Não existe uma ‘mini era glacial’ iminente”,

a NASA tentou dissipar a idéia de que um grande mínimo solar poderia causar um resfriamento global.

NASA diz que poderá haver uma 'Mini Era do Gelo' em 2020

De fato, a NASA previu que as mudanças climáticas podem negar qualquer efeito do mínimo:

Em termos de forçamento climático, um fator que poderia impulsionar o clima em uma direção específica, os cientistas solares estimam que seria de aproximadamente -0,1 W / m2, o mesmo impacto de aproximadamente três anos de crescimento atual na concentração de dióxido de carbono (CO2), diz a NASA.

Portanto, um novo Grande Mínimo Solar serviria apenas para compensar alguns anos de aquecimento causados ​​por atividades humanas”.

Segundo a NASA, mesmo que ocorra um mínimo solar longo e prolongado, o que ocorreria ao longo de uma década, o aquecimento das emissões de gases de efeito estufa é seis vezes maior do que qualquer resfriamento que o mínimo possa produzir. Como resultado, a terra continuaria a aquecer.

Mas nem todos os cientistas concordam com esta previsão. Alguns sugeriram que os gases de efeito estufa não terão efeito na nova mini Era Glacial e que provavelmente testemunharemos um cenário nunca antes visto.

NASA diz que poderá haver uma 'Mini Era do Gelo' em 2020

A verdade é que já vimos as previsões fracassadas da comunidade científica e, infelizmente, muito recentemente. Fomos informados pela primeira vez que o novo coronavírus não tinha o potencial de se tornar uma pandemia.

Uma vez que entrasse em nossas vidas, desapareceria assim que chegasse.

Outra “pérola científica” é que seria estacionária e agora nos dizem que o calor não reduzirá a propagação.

E, assim, poderíamos preencher folhas e folhas de previsões errôneas dos especialistas, até o ponto em que estamos. E novamente cometem um erro que pode custar milhões de vidas, subestimar o mínimo solar.

Por outro lado, deve-se dizer que este 2020 está se tornando um dos anos mais sombrios da história da humanidade. É verdade que nos acostumamos ao conforto diário, como se não houvesse ameaças que pudessem mudar o mundo em que vivemos.

Mas novamente estávamos errados, embora desta vez pudéssemos encontrar uma das piores previsões cumpridas:

O Apocalipse!

O que caro leitor(a) acha que realmente está acontecendo?

Comente e compartilhe…

A Chave dos Mistérios Ocultos

Você já tem a chave, mas terás a coragem de abrir?

Deixe um Comentário