A maior parte do campo magnético da Terra é gerado por convecção a partir de ferro derretido no exterior do núcleo. O campo protege a vida terrena contra a radiação espacial

Foi detectada uma misteriosa “onda magnética” emitida do núcleo da terra a cada 7 anos

Convidamos você a nos seguir em nossa página no Facebook, para ficar por dentro de todas as novidades que publicamos:

Pesquisadores detectaram um novo tipo de onda magnética que vem da parte mais externa do núcleo externo da Terra e com uma peculiaridade:

Essa onda é emitida a cada 7 anos.

Enquanto erupções vulcânicas e terremotos servem como lembretes imediatos de que o interior da Terra é tudo menos calmo, também existem outros processos dinâmicos mais evasivos acontecendo bem abaixo de nossos pés.

Usando informações da missão de satélite Swarm da ESA, os cientistas descobriram um tipo totalmente novo de onda magnética que varre a parte mais externa do núcleo externo da Terra a cada sete anos.

Esta descoberta fascinante, apresentada hoje no Living Planet Symposium da ESA, abre uma nova janela para um mundo que talvez nunca veremos.

O campo magnético da Terra é como uma enorme bolha que nos protege do ataque da radiação cósmica e das partículas carregadas transportadas por ventos poderosos que escapam da atração gravitacional do Sol e fluem pelo Sistema Solar.

Sem o nosso campo magnético, a vida como a conhecemos não existiria…
O rio de ferro líquido corre a cerca de 3 mil quilômetros de profundidade.
O rio de ferro líquido corre a cerca de 3 mil quilômetros de profundidade.

A maior parte do campo magnético da Terra é gerado por um oceano de ferro líquido superaquecido que gira e forma o núcleo externo da Terra 3.000 km abaixo de nossos pés.

Atuando como o condutor rotativo em um dínamo de bicicleta, ele gera correntes elétricas e o campo eletromagnético em constante mudança.

A missão Swarm da ESA, composta por três satélites idênticos, mede estes sinais magnéticos provenientes do núcleo da Terra, bem como outros sinais provenientes da crosta, oceanos, ionosfera e magnetosfera.

Desde que o trio de satélites Swarm foi lançado em 2013, os cientistas analisam seus dados para obter novos insights sobre muitos dos processos naturais da Terra, desde o clima espacial até a física e a dinâmica do coração tempestuoso da Terra.

Detecção de um novo tipo de onda magnética

Medir nosso campo magnético do espaço é a única maneira real de sondar as profundezas do núcleo da Terra.

A sismologia e a física mineral fornecem informações sobre as propriedades materiais do núcleo, mas não esclarecem o movimento gerador do dínamo do núcleo externo líquido.

Os satélites Swarm satellites foram lançados em 2013 para estudar o campo magnético da Terra.
Os satélites Swarm satellites foram lançados em 2013 para estudar o campo magnético da Terra.

Mas agora, usando dados da missão Swarm, os cientistas descobriram um segredo escondido.

Um artigo, publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences, descreve como uma equipe de cientistas detectou um novo tipo de onda magnética varrendo a “superfície” do núcleo externo da Terra, onde o núcleo encontra o manto.

Essa onda misteriosa oscila a cada sete anos e se propaga para o oeste a velocidades de até 1.500 quilômetros por ano.



Sugerimos a leitura das matérias

O núcleo da Terra está crescendo em um padrão “desequilibrado”

Cientistas confirmam que nós temos um sexto sentido sintonizado no campo magnético da Terra

O norte magnético da Terra pode estar mudando devido a misteriosas “massas” subterrâneas

Cientistas alertam que a Terra está se afastando de seu eixo e que o pior ainda está por vir



Nicolas Gillet, da Université Grenoble Alpes e principal autor do artigo, disse em um comunicado:

“Os geofísicos há muito teorizam sobre a existência de tais ondas, mas pensava-se que elas ocorrem em escalas de tempo muito mais longas do que nossa pesquisa mostrou. As medições do campo magnético dos instrumentos baseados na superfície da Terra sugeriram que havia algum tipo de ação das ondas acontecendo, mas precisávamos da cobertura global oferecida pelas medições do espaço para revelar o que realmente está acontecendo. Combinamos medições de satélite do Swarm, e também da missão alemã Champ anterior e da missão dinamarquesa Ørsted, com um modelo de computador do geodínamo para explicar o que os dados terrestres produziram, e isso levou à nossa descoberta.”

Ondas magnéticas através do núcleo externo da Terra.
Ondas magnéticas através do núcleo externo da Terra.

Devido à rotação da Terra, essas ondas se alinham em colunas ao longo do eixo de rotação. As mudanças de movimento e campo magnético associadas a essas ondas são mais fortes perto da região equatorial do núcleo.

Embora a pesquisa mostre ondas magneto-Coriolis próximas a um período de sete anos, permanece, no entanto, a questão da existência de tais ondas que oscilariam em diferentes períodos.

Dr Gillet acrescentou:

“As ondas magnéticas provavelmente serão desencadeadas por distúrbios profundos no núcleo fluido da Terra, possivelmente relacionados a plumas de flutuabilidade. Cada onda é especificada por seu período e escala de comprimento típico, com o período dependendo das características das forças em jogo. Para ondas magneto-Coriolis, o período é indicativo da força do campo magnético dentro do núcleo. Nossa pesquisa sugere que outras ondas desse tipo provavelmente existirão com períodos mais longos, mas sua descoberta depende de mais investigações”.

Os resultados da pesquisa foram publicados na revista Proceedings of the National Academy of Sciences

Deixe sua opinião nos Comentários!
E compartilhe com seus amigos…

Convidamos você a nos seguir em nossa página no Facebook, para ficar por dentro de todas as novidades que publicamos:

O Mundo dos Mistérios Ocultos(clique para abrir)

A Chave dos Mistérios Ocultos
Notícias

Deixe um Comentário