Encontram a cabeça de um tubarão há 330 milhões de anos

Uma equipe de cientistas americanos em uma expedição tropeçou com a cabeça de um tubarão que habitava os oceanos há 330 milhões de anos…

O Parque Nacional Mammoth Cave tornou-se rapidamente um local de interesse dos cientistas para sua mais recente descoberta.

Um projeto em andamento resultou na descoberta de restos fossilizados pertencentes a um tubarão de 330 milhões de anos e dezenas de outros espécimes.

Cientistas identificaram os restos de 15 a 20 espécies diferentes de tubarões nas profundezas da caverna, incluindo parte da cabeça de um grande monstro do porte de um tubarão-branco que se projeta parcialmente de uma rocha.

Rick Olson e Rick Toomey, dois especialistas em Mammoth Cave, no centro de Kentucky, entraram em contato com Vitor Santucci, um paleontologista do Serviço Nacional de Parques dos EUA, depois de encontrar uma figura fossilizada.

Santucci então entrou em contato com seu colega John-Paul Hodnett, do Maryland Dinosaur Park, que visitou a caverna em novembro de 2019 como parte do Projeto de Pesquisa de Fósseis de Tubarões do Mammoth Cave National Park.



Arqueólogos recriam o antigo perfume egípcio usado por Cleópatra

Encontram um enorme tubarão com a cabeça mordida por um animal ainda maior na costa da Austrália

Um enorme e misterioso esqueleto aparece após uma tempestade em uma praia escocesa

Arqueólogos encontram a verdadeira espada Excalibur em um rio da Bósnia

Arqueólogos confirmam a existência da Arca de Noé através de imagens 3D



Encontram a cabeça de um tubarão há 330 milhões de anos

Esses tubarões viveram cerca de 330 milhões de anos atrás, no que é conhecido como o período geológico do Final do Mississipi, quando grande parte da América do Norte estava coberta por oceanos.

Quando eles morreram, seus restos foram envoltos em sedimentos que eventualmente se tornaram o calcário onde a caverna se formou.

Um conjunto de fotos mostrou vários dentes de tubarão associados a grandes seções de cartilagem fossilizada, sugerindo que um esqueleto de tubarão pode ter sido preservado na caverna”,

disse Hodnett, recontando fotos iniciais de Olson e Toomey.

Havia alguns dentes de tubarão, disse Hodnett, mas ele também viu cartilagem que achava ser o esqueleto de um tubarão. Isso é muito raro, porque a cartilagem é mais macia que o osso e, por isso, nem sempre é preservada.

Maior que o “grande branco”…

Hodnett revelou que os restos fossilizados em questão pertenciam à espécie de tubarão Saivodus striatus do final do período do Mississippi, cerca de 330 a 340 milhões de anos atrás.

Encontram a cabeça de um tubarão há 330 milhões de anos

Prevê-se que seja do tamanho de um grande tubarão branco, seja cerca de 6 metros de comprimento.

É visível a parte da mandíbula do tubarão onde ela teria se fixado ao crânio e a extremidade que teria sido seu queixo,”

comentou Hodnett.

Parte do meio da mandíbula não é visível, mas ele calculou que teria cerca de 75 centímetros.

Eu não tinha exatamente certeza do que veria na caverna durante minha viagem em novembro”,

confessou o paleontologista.

Quando chegamos ao nosso espécime alvo, minha mente ficou impressionada”,

acrescentou.

Encontram a cabeça de um tubarão há 330 milhões de anos

Segundo Hodnett, os membros do projeto determinaram que haviam encontrado o que parecem ser vários dentes pertencentes ao tubarão, à mandíbula inferior e à cartilagem do crânio.

A descoberta recente é mais monumental devido ao fato de que esqueletos de tubarão, que são feitos de cartilagem, raramente são preservados em fósseis.

O paleontólogo acredita que a lenta erosão do calcário como a razão da preservação dos dentes de tubarão.

Mais significativamente, a maioria dos fósseis de tubarão que descobrimos veio de uma camada de rocha que se estende do Missouri à Virgínia, mas eles nunca documentaram a presença de tubarões até agora”,

disse Hodnett.

Encontram a cabeça de um tubarão há 330 milhões de anos

É como encontrar uma peça do quebra-cabeça que faltava para uma imagem muito grande”,

enfatizou.

A cabeça e outros espécimes encontrados

Encontram a cabeça de um tubarão há 330 milhões de anos

No entanto, os cientistas descobriram mais do que apenas os restos de Saivodus striatus durante a expedição.

O projeto descobriu mais de 100 espécimes individuais da caverna, que foram fossilizados na rocha.

Estes incluem dentes adicionais e barbatanas dorsais de várias espécies de tubarões.

O parque nacional abriga o mais antigo sistema de cavernas conhecido na Terra, e Hodnett acredita que a equipe “apenas arranhou a superfície”.

Embora o parque queira que o público se beneficie das informações obtidas na caverna, as autoridades “têm o dever de proteger esses recursos não renováveis” e não divulgarão a localização exata dos fósseis por medo de vandalismo ou roubo.

A Chave dos Mistérios Ocultos

Você já tem a chave, mas terás a coragem de abrir?

Comente