Comparação entre o camelo gigante e o camelo atual

Camelos gigantes viviam ao lado de pessoas há 26,5 mil anos

Convidamos você a nos seguir em nossa página no Facebook, para ficar por dentro de todas as novidades que publicamos:

Uma equipe internacional de cientistas chegou à conclusão de que nossos ancestrais distantes provavelmente encontraram camelos gigantes extintos de duas corcovas vivendo ao lado deles na Mongólia há cerca de 26,5 mil anos.

Camelus knoblochi é um camelo bactriano extinto que viveu no Pleistoceno e, ao mesmo tempo, uma das maiores espécies desses animais.

Alcançavam três metros de altura e pesavam cerca de uma tonelada.

Camelos são conhecidos por terem contribuído para a expansão das populações humanas em regiões áridas. E um desses “ajudantes” do homem foi provavelmente o gigante C. knoblochi.  Não em termos de domesticação, mas como fonte de alimento.

Camelos mongóis gigantes de 3 metros de altura foram mortos e comidos por humanos arcaicos antes de serem extintos há 27.000 anos, mostra um estudo.
Comparação entre o camelo gigante, camelo atual e o homem.

Uma das razões para o seu desaparecimento é a chamada competição com Camelus ferus – uma espécie de camelo selvagem que ainda vive no território da Mongólia (embora hoje esteja sob ameaça de extinção).

Outra razão para a morte de camelos bactrianos gigantes é a mudança climática. Mas talvez a caça de povos antigos também tenha desempenhado um papel nisso.

Esta conclusão foi feita por cientistas do Instituto de Arqueologia e Etnografia SB RAS (Novosibirsk, Rússia), Instituto da Crosta da Terra SB RAS (Irkutsk, Rússia), Instituto de Arqueologia MAS (Mongólia) e da Universidade do Arizona (EUA).

Eles publicaram os resultados de seu trabalho na revista Frontiers in Earth Science.

Cientistas encontram fóssil de ‘camelo gigante’ na Síria

Arqueólogos descobriram na Síria os restos fossilizados de uma espécie desconhecida de camelo gigante que viveu há 100 mil anos.

Os ossos do animal foram descobertos por uma equipe de cientistas suíços e sírios perto do vilarejo de El Kowm na parte central do país.

Fóssil do camelo gigante (esq.) comparado com osso moderno
Fóssil do camelo gigante (esq.) comparado com osso moderno.

O camelo teria o dobro do tamanho de uma espécie atual. Cientistas acreditam que este tipo de camelo gigante poderia ter sido morto por humanos, que viviam no lugar no mesmo período.

Na época, há 100 mil anos, a região possuía água abundante.

“Não se sabia que o dromedário estava presente no Oriente Médio há mais de 10 mil anos”,

disse Jean-Marie Le Tensorer da Universidade de Basel.

“A corcova do camelo ficava a três metros de altura e a altura total poderia chegar a quatro metros, tão alto quanto uma girafa ou elefante. Ninguém sabia que uma espécie como esta já existiu”,

acrescentou Jean-Marie.

Tensorer, que está trabalhando em escavações no vilarejo de Kowm desde 1999, afirmou que os primeiros ossos grandes foram encontrados há alguns anos mas a confirmação de que eles pertenciam a um camelo foi feita apenas depois da descoberta de várias outras partes do mesmo animal, recentemente.

Entre 2005 e 2006 mais de 40 fragmentos de ossos de camelos gigantes foram encontrados pela equipe.

Restos humanos do mesmo período do camelo gigante foram descobertos no mesmo local. O osso longo que forma o antebraço e um dente foram levados para a Suíça, onde estão passando por análises antropológicas.

Dentes parecem com os do homem de Neanderthal
Dentes parecem com os do homem de Neanderthal.

“O osso é do Homo sapiens, ou homem moderno. Mas o dente é muito antigo, parecido com o encontrado no homem de Neanderthal. Ainda não sabemos exatamente o que é. Temos um Homo Sapiens muito antigo ou um Neanderthal?”,

disse Jean-Marie.

“Esperamos encontrar mais ossos que possam ajudar a determinar que tipo de homem era”,

acrescentou Jean-Marie.



Sugerimos das seguintes matérias

Encontrado fóssil cavalo extinto há mais de 40.000 anos

Um estudo revelou um fóssil de unicórnio siberiano de mais de 40.000 anos

Encontram um fóssil de um pássaro pré-histórico semelhante a um pequeno dragão

Foi descoberto um embrião de dinossauro que parece que “morreu ontem”



El Kowm, o local onde os restos foram descobertos junto com sílex (rocha dura) e armas de pedra, é um vale de 20 quilômetros entre duas cadeias de montanhas com córregos naturais.

No ano passado, os cientistas descobriram pela primeira vez os restos de C. knoblochi na Mongólia (antes disso eles foram encontrados em outras partes da Ásia e da Europa) – na caverna Tsagaan Agui e no deserto de Gobi.

Na foto estão os ossos do extinto camelo gigante da Mongólia (Camelus knoblochi) da Ásia Central
Na foto estão os ossos do extinto camelo gigante da Mongólia (Camelus knoblochi) da Ásia Central.

Ossos de camelo descansavam junto com os restos de lobos, hienas das cavernas, rinocerontes, cavalos, burros selvagens, ovelhas e gazelas.

Os pesquisadores acreditam que o C. knoblochi foi extinto porque não conseguiu se adaptar à desertificação que as mudanças climáticas levaram.

Evidências da coexistência de camelos e humanos estão registradas em petróglifos antigos, inclusive na própria Mongólia.

Um artigo de uma equipe internacional de cientistas mostra que C. knoblochi viveu ao lado de humanos anatomicamente modernos.

Deixe sua opinião nos Comentários!
E compartilhe com seus amigos…

Convidamos você a nos seguir em nossa página no Facebook, para ficar por dentro de todas as novidades que publicamos:

O Mundo dos Mistérios Ocultos(clique para abrir)

A Chave dos Mistérios Ocultos
Curiosidades

Deixe um Comentário