Profecias intrigantes de The Economist para 2021

Profecias intrigantes do “The Economist” para 2021

Cada vez que a revista The Economist lança uma nova capa para sua revista, a Internet explode com teorias e suposições.

O que apresentamos hoje a vocês, é misterioso e intrigante…
Capa da revista The Economist 2021
Capa da revista The Economist 2021

As capas da revista The Economist se tornaram populares em todo o mundo devido aos avisos que fornecem e que segundo alguns pesquisadores anunciariam uma agenda a ser cumprida.

A revista ‘ The Economist ‘ lança o que será sua capa. Expressa o futuro do tão esperado 2021 e, infelizmente, nada de bom parece.

Desde a crise da saúde, ou a derrota de Trump, várias são as profecias ou a agenda para o mundo em 2021.

Normalmente, The Economist espera até dezembro para revelar a capa do ano seguinte, porém a capa esperada para 2021 foi lançada em novembro.

E os dados que revela são muito preocupantes e mostram possíveis eventos que ocorram em 2021, iguais ou mais preocupantes do que o que aconteceu em 2020.

O que diz a capa do The Economist para 2021?

Na capa da revista The Economist 2021, o que você percebe à primeira vista é uma máquina caça-níqueis, uma máquina onde você joga jogos de azar…

Possui linhas com ícones que representam elementos que estão em jogo hoje e que aparentemente apenas um está decidido, aquele que faz Joe Biden insinuar o que já está aparentemente concluído.

Em outras linhas que ainda estão em movimento você pode ver: Gráficos crescentes, imagens do vírus, o ícone de uma seringa com um líquido verde dentro.

A bandeira quebrada dos Estados Unidos, uma bomba atômica, o ícone TikTok e Zoom, um ícone com uma máscara (aparentemente um emoji chinês).

O símbolo do dólar, um ícone de uma árvore em chamas, lâminas de energia eólica, a bandeira da China e pontos de interrogação.

Estamos em uma roleta russa?

o Economista 2021
o Economista 2021

Entre todas essas opções, há uma roda que já está parada, a segunda, que contém os símbolos da bomba atômica, a Biden, a falência dos EUA e a Tiktok.

Os outros ainda giram, pois um efeito de movimento pode ser visto em cada um de seus ícones.

O que significa isto?

A roda que parou de se mover marca algo que virá primeiro em 2021?

Ou esse tipo de roleta russa nos mostra vários eventos possíveis que podem ocorrer dependendo de uma coisa ou outra que aconteça no mundo?



As profecias revelam que 2020 é apenas um aperitivo para o que está por vir

Engenheiro cria um clone de Jesus com inteligência artificial que emite profecias apocalípticas

A Profecia Hopi: o fim do nosso mundo e o “quinto mundo” que virá

A profecia do Papa Francisco a humanidade caminha para o Apocalipse

Mais uma profecia cumprida? OMS declara pandemia global de coronavírus



Destaque o desenho da alavanca para operar a roleta, que possui uma terra na alça…

Profecias intrigantes de The Economist para 2021

A alavanca é apontada para o mundo, e as “linhas de pagamento” continuam a se mover, implicando que nos momentos certos eles irão parar e, como nas máquinas reais, eles criarão em “uma jogada”.

Lembremos que a revista é financiada quase inteiramente pelo empório Rothschild, uma das famílias que reinam por seu poder econômico mundial.

Isso nos faz supor (como nas edições anteriores) que tudo tem uma razão dentro de uma agenda que é cumprida integralmente.

Será que está tentando passar uma mensagem da mão que puxa a alavanca e domina o mundo e decide os eventos que acontecem?

Estamos à mercê das elites que executam o mecanismo e alguma das opções acima acontece?

Embora vejamos um diagrama simples impresso em uma capa, esta revista sempre se caracterizou por oferecer mensagens subliminares, que no futuro se cumpriram.

Então, o que podemos esperar para 2021?

O que The Economist quer nos dizer com esta capa?

Em 2020, os incêndios florestais ocorreram em quase todos os lugares do planeta:

Amazônia, Austrália, África, América do Sul, etc.

Profecias intrigantes de The Economist para 2021

Possivelmente, em 2021, a situação piorará.

Outro aspecto a destacar é o símbolo do dólar ou do dinheiro em geral; em uma iniciativa que poderia ser realidade em pouco tempo:

o Euro Digital, e que, segundo alguns especialistas em opinião, acabaria com o dinheiro impresso. A isso poderia estar relacionado uma ascensão da China, possivelmente impondo-se economicamente sobre outras nações.

Também destaca o símbolo de um vírus.

É um novo surto de COVID-19 ou o surgimento de uma nova pandemia?

É possível que cada uma das rodas giratórias represente um período de tempo durante 2021 e o que poderia ser cumprido durante esse período.

Profecias intrigantes de The Economist para 2021

Não devemos esquecer que cada um pode interpretar esta capa a sua maneira, e não haverá consenso quanto a ela.

No entanto, devemos ter em mente que 2021 será um ano difícil em que teremos que enfrentar todas as consequências do ano de 2020 que mergulhou o mundo em uma situação nunca antes experimentada na história conhecida.

2021, com ou sem ‘The Economist’, sem dúvida deixa todos nós com os nervos à flor pele…

Deixe sua opinião nos Comentários…
Compartilhe com seus amigos…

Deixe um Comentário