Novo estudo explora a possibilidade de vida baseada em plasma

Novo estudo explora a possibilidade de vida baseada em plasma no espaço

Compartilhe esta matéria...
Você já se perguntou se existe vida além da Terra?
A maioria de nós imagina os seres extraterrestres como organismos baseados em carbono que precisam de água e oxigênio para sobreviver.
Mas e se existisse outra forma de vida que não dependesse destas condições?
E se existir uma forma de pré-vida no estado plasmático, o quarto estado da matéria?
Esta é a questão intrigante que uma equipa de investigadores de várias disciplinas e instituições explorou num novo estudo publicado na revista Astrobiology.

O estudo, intitulado Extraterrestrial Life in Space. Plasmas in the Thermosphere: UAP, Pre-Life, Fourth State of Matter(Vida Extraterrestre no Espaço. Plasmas na Termosfera: UAP, Pré-Vida, Quarto Estado da Matéria)”, apresenta evidências e argumentos para a existência de entidades baseadas em plasma na termosfera, a camada da atmosfera terrestre que se estende de aproximadamente 90 a 600 km acima da superfície.

Forma de nuvem brilhante em plasma.
Forma de nuvem brilhante em plasma.

Os pesquisadores analisaram imagens de vídeo de 10 missões de ônibus espaciais da NASA, mostrando plasmas autoiluminados de até um quilômetro de tamanho exibindo comportamentos semelhantes aos da vida, como se alimentar de radiação eletromagnética, mudar de forma e tamanho, movendo-se em diferentes velocidades e direções, reunidos, interagindo e deixando rastros.

Plasmas extraterrestres contatando, cruzando e deixando um rastro:

Estes são exemplos de “colisionalidade” e “canibalismo energético”.

Eles também compararam esses plasmas com aqueles observados e filmados por astronautas, pilotos militares e civis ao longo dos anos, muitas vezes classificados como fenômenos aéreos não identificados ou anômalos (UAP). O estudo sugere que esses plasmas não são biológicos, mas podem representar uma forma de vida anterior que poderia evoluir para formas mais complexas incorporando elementos comuns no espaço, como hidrogênio, carbono, nitrogênio e oxigênio.

Representação artística de uma nuvem brilhante plasma
Representação artística de uma nuvem brilhante plasma.

Os pesquisadores propõem que os plasmas são atraídos pela atividade eletromagnética e podem explicar muitos dos avistamentos de UAPs ao longo dos séculos.

“Os plasmas são entidades eletromagnéticas que possuem características celulares e apresentam diferentes padrões de comportamento que são afetados por suas propriedades elétricas, e isso faz com que interajam e se comportem individualmente ou coletivamente”,

concluem os pesquisadores.

Como os plasmas na termosfera são atraídos pela atividade eletromagnética e descem para as tempestades e para a baixa atmosfera, eles provavelmente são responsáveis ​​por pelo menos alguns dos numerosos relatos de OVNIs e UAPs nos últimos milhares de anos, incluindo alguns dos UAPs relatados recentemente por pilotos de aeronaves.

Plasmas pulsantes brilhantes em forma de rosca com núcleo.
Plasmas pulsantes brilhantes em forma de rosca com núcleo.

O estudo desafia os pressupostos convencionais sobre a natureza e a origem da vida e abre novas possibilidades para explorar e compreender o universo.

“Os plasmas retratados neste relatório são fenômenos eletromagnéticos e estima-se que tenham até um quilômetro (ou mais) de comprimento ou diâmetro. Observou-se que plasmas na termosfera mudam de forma e ficam maiores ou menores. Os plasmas também podem ter menos de alguns centímetros de diâmetro. A menos que sejam criados em laboratório, ou se reúnam em grandes rebanhos na baixa atmosfera e interajam ou acelerem até a hipervelocidade, plasmas menores têm muito menos probabilidade de serem observados ou detectados.”

Diz o estudo.



Sugerimos a leitura das seguintes matérias

Incrível: 85 planetas descobertos que poderiam sustentar vida

Cientistas descobrem mais evidências de que a vida “foi semeada na Terra”

Bases de DNA e RNA, blocos de construção “desaparecidos” da vida na Terra, encontrados em meteoritos

Blocos de construção de DNA foram descobertos em rochas espaciais

Um ingrediente chave da vida é detectado no espaço profundo



Veja o vídeo:

(Obs: O vídeo está em inglês; porém você pode ativar as legendas em português. (clique aqui e veja como fazer))

Deixe sua opinião nos Comentários!
E compartilhe com seus amigos…

Convidamos você a nos seguir em nossa página no Facebook, para ficar por dentro de todas as novidades que publicamos:

A Chave dos Mistérios Ocultos(clique ou toque para abrir)


Descubra mais sobre A Chave dos Mistérios Ocultos

Subscribe to get the latest posts sent to your email.

A Chave dos Mistérios Ocultos
Notícias

Deixe um Comentário