A camada de ozônio antártico está se recuperando

O fato de a camada de ozônio antártico estar se recuperando é uma boa notícia. Graças à humanidade, o planeta respira fácil novamente…

A camada de ozônio sobre a Antártida se recuperou tanto que na verdade parou muitas mudanças preocupantes na atmosfera do hemisfério sul.

Se você está procurando alguém para agradecer por este trabalho, agradeça à humanidade. Pois apesar de ser o maior destruidor de nosso planeta, agora está trabralhando para reverter os danos causados ​​no passado.

Um novo estudo sugere que o Protocolo de Montreal, o acordo de 1987 para interromper a produção de substâncias destruidoras da camada de ozônio (ODS), possa ser responsável por pausar ou até reverter algumas mudanças preocupantes nas correntes de ar no hemisfério sul.

Rodopiando em direção aos pólos do nosso planeta em alta altitude, existem correntes de ar rápidas, conhecidas como correntes de jato.

Antes da virada do século, o esgotamento do ozônio estava levando a corrente de jato do sul mais ao sul do que o normal.



Especialista alerta: “Precisamos estar preparados para a segunda onda”

Grupo financeiro multinacional adverte investidores sobre colapso econômico

Virologista da OMS diz que o novo coronavírus é a ‘Doença X’, e pode matar 80 milhões de pessoas

Existem suspeitas que o coronavírus pode ser uma arma biológica

Bill Gates alerta que o coronavírus é a nova gripe espanhola, que matou 50 milhões de pessoas em 1918



Isso acabou mudando os padrões de precipitação e possivelmente as correntes oceânicas.

Então, aproximadamente uma década após a assinatura do protocolo, essa migração parou subitamente.

Foi uma coincidência?

Usando uma variedade de modelos de computador e simulações, os pesquisadores agora demonstraram que essa pausa no movimento não era impulsionada apenas por mudanças naturais nos ventos.

A camada de ozônio antártico está se recuperando

Em vez disso, apenas mudanças no ozônio poderiam explicar por que a corrente de jato havia parado subitamente.

Em outras palavras, o impacto do Protocolo de Montreal parece ter interrompido, ou mesmo revertido, a migração para o sul da corrente de jato.

E na verdade pela primeira vez, são boas notícias.

Celebrando uma vitória

Na Austrália, por exemplo, mudanças na corrente de jato aumentaram o risco de seca ao afastar a chuva das áreas costeiras. Se a tendência reverter, essas chuvas poderão retornar.

A camada de ozônio antártico está se recuperando

As ‘bandas climáticas’ que trazem nossas frentes frias estão se estreitando em direção ao Pólo Sul, e é por isso que a Austrália do Sul experimentou uma diminuição nas chuvas nos últimos trinta anos”,

diz Ian Rae, químico orgânico da Universidade de Melbourne que não estava envolvido no estudo.

Se a camada de ozônio está se recuperando e a circulação está se movendo para o norte, são boas notícias em duas frentes (trocadilhos não intencionais)”.

A camada de ozônio antártico está se recuperando

Ainda assim, podemos não comemorar por muito tempo. Embora as melhorias na redução de nossa dependência do ODS certamente tenham permitido recuperar o ozônio, os níveis de dióxido de carbono continuam a subir e comprometem todo esse progresso.

No ano passado, o buraco na camada de ozônio na Antártica atingiu seu menor pico anual já registrado desde 1982, mas o problema não está resolvido, e esse registro pode ter algo a ver com temperaturas incomumente moderadas nessa camada da atmosfera.

Além disso, nos últimos anos, houve um aumento de produtos químicos que destroem a camada de ozônio nas regiões industriais da China.

A camada de ozônio antártico está se recuperando

Chamamos isso de ‘pausa’, porque as tendências em direção aos pólos podem retomar, permanecer planas ou reverter”,

diz o químico atmosférico Antara Banerjee, da Universidade do Colorado Boulder.

É o cabo de guerra entre os efeitos opostos da recuperação do ozônio e o aumento dos gases de efeito estufa que determinarão as tendências futuras”.

O Protocolo de Montreal é a prova de que, se tomarmos medidas globais e imediatas, poderemos ajudar a pausar ou até reverter alguns dos danos que iniciamos.

No entanto, mesmo agora, o aumento constante das emissões de gases de efeito estufa é um lembrete de que uma dessas ações simplesmente não é suficiente.

A Chave dos Mistérios Ocultos

Você já tem a chave, mas terás a coragem de abrir?

Comente