Descobriram uma passagem para o submundo sob uma igreja no México.

Descobriram uma “passagem para o submundo” sob uma igreja no México

Compartilhe esta matéria...
Um labirinto subterrâneo foi descoberto por arqueólogos sob uma igreja no México.
Nos tempos antigos, acreditava-se que era uma “entrada para o submundo”.
A descoberta foi feita no sítio arqueológico de Mitla, perto da cidade de Oaxaca, por uma equipe do Instituto Nacional de História e Antropologia (INAH), da Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM), da Pesquisa e Exploração Arqueológica (ARX).

Mitla é considerado o local histórico mais importante para os povos indígenas da cultura zapoteca, cuja civilização prosperou no Vale de Oaxaca desde 700 ac. C. Até a conquista espanhola em 1521 d. C.

Descoberta de uma “passagem para o submundo”

A Igreja Católica de San Pablo em Mitla, construída sobre as fundações de um antigo templo zapoteca. Crédito da imagem Projeto ARX
A Igreja Católica de San Pablo em Mitla, construída sobre as fundações de um antigo templo zapoteca. Crédito da imagem: Projeto ARX.

Em 12 de maio de 2023, a equipe de pesquisa do Projeto Lyobaa apresentou os resultados da primeira fase da varredura geofísica do sítio arqueológico de Mitla, Oaxaca, com o objetivo de descobrir evidências de um sistema de cavernas e passagens sob o local, considerado pelos antigos Zapotecas como uma “entrada para o submundo “, ou Lyobaa.

O projeto utilizou três métodos geofísicos diferentes para explorar o reservatório, nomeadamente Radar de Penetração no Solo (GPR), Tomografia de Resistividade Elétrica (ERT) e Tomografia de Ruído Sísmico.

Pela primeira vez no México, os resultados e as imagens geradas por esses três métodos foram combinados para fornecer um modelo 3D preciso do que está no subsolo.

Túneis subterrâneos

Varredura GPR do Grupo de Colunas, mostrando a posição da escadaria anterior sob o Palácio. Crédito da imagem: Projeto ARX.
Varredura GPR do Grupo de Colunas, mostrando a posição da escadaria anterior sob o Palácio. Crédito da imagem: Projeto ARX.

As descobertas confirmam a existência de extensas câmaras e túneis subterrâneos sob o Grupo de Igrejas do antigo local, no mesmo local que os documentos coloniais e a tradição local afirmavam ser a entrada do grande templo subterrâneo de Lyobaa.

Além disso, o estudo revelou evidências de uma fase anterior de construção do Palácio das Colunas, o monumento antigo mais importante e mais bem preservado de Mitla, bem como várias outras anomalias geofísicas que podem ser interpretadas como túmulos ou estruturas arqueológicas enterradas.

Essas descobertas ajudarão a reescrever a história das origens de Mitla e seu desenvolvimento como um local antigo, além de fornecer informações valiosas para a gestão e prevenção de riscos sísmicos e geológicos na área.

Uma entrada para o submundo sob a Igreja?

Em 1674, o padre dominicano Francisco de Burgoa descreveu a exploração das ruínas de Mitla e suas câmaras subterrâneas por um grupo de missionários espanhóis. A história de Burgoa fala de um vasto templo subterrâneo composto por quatro câmaras interligadas, que continham os túmulos dos sumos sacerdotes e reis de Teozapotlán.

Mapa do Radar de Penetração no Solo do Grupo de Igrejas. As setas azuis destacam vazios potenciais ou anomalias geofísicas captadas pelo radar. Crédito da imagem: Projeto ARX.
Mapa do Radar de Penetração no Solo do Grupo de Igrejas. As setas azuis destacam vazios potenciais ou anomalias geofísicas captadas pelo radar. Crédito da imagem: Projeto ARX.

Da última câmara subterrânea, uma porta de pedra levava a uma caverna profunda que se estendia por trinta léguas abaixo do solo. Esta caverna era atravessada por outras passagens como ruas, e seu teto era sustentado por pilares.

Segundo Burgoa, os missionários mandaram lacrar todas as entradas desse labirinto subterrâneo, deixando apenas os palácios na superfície.

Para verificar a tradição local de que o altar-mor da igreja católica esconde a entrada do labirinto subterrâneo, os pátios e conjuntos de estruturas ao redor da igreja foram investigados por meio de métodos geofísicos. Vários conjuntos de eletrodos e geofones foram instalados ao redor da igreja para criar uma imagem tridimensional do que pode estar no subsolo.

Ambos os métodos confirmaram a existência de um grande vazio localizado logo abaixo do altar-mor e estendendo-se a noroeste e oeste. Este vazio parece estar ligado a outra anomalia geofísica significativa localizada imediatamente a norte da igreja.

Tomografia sísmica do Grupo da Igreja na frequência de 4,76 Hz, revelando áreas de baixa velocidade (em azul) que poderiam indicar a presença de câmaras subterrâneas ou cavidades naturais. Crédito da imagem: Projeto ARX.
Tomografia sísmica do Grupo da Igreja na frequência de 4,76 Hz, revelando áreas de baixa velocidade (em azul) que poderiam indicar a presença de câmaras subterrâneas ou cavidades naturais. Crédito da imagem: Projeto ARX.

A tomografia elétrica também revelou a existência de duas passagens com orientação leste-oeste que entram no vazio principal pelo leste, a uma profundidade entre 5 e 8 metros. A disposição das câmaras e túneis sob a igreja mostra uma articulação muito maior e mais complexa do que as câmaras cruciformes relativamente simples que existem sob o Grupo de Colunas e em outras partes do sítio.

Tanto a profundidade quanto a orientação das câmaras recém-identificadas (nordeste-sudoeste em vez de norte-sul) sugerem que elas podem não ter sido originalmente conectadas aos edifícios da superfície, todos os quais compartilham uma orientação norte-sul ou leste predominante.

Uma possível entrada bloqueada foi identificada sob o altar-mor da igreja católica.



Sugerimos a leitura das seguintes matérias

As surpreendentes igrejas construídas em uma só pedra

Pesquisadores afirmam que a Arca da Aliança está em uma igreja na Etiópia

A história da Vila Antiga de Monsanto

Capela de São Roque: Um Santuário da Vida em um Cemitério



Encontrar no Palácio das Colunas

A poucos metros a norte da escadaria do Palácio, tanto o radar de penetração do solo como a tomografia eléctrica revelaram o contorno do que parece ser uma escada anterior que conduz a um pórtico com dois portais. A evidência é compatível com uma fase anterior de construção do Palácio das Colunas, que até agora se acreditava ter sido construído inteiramente no período pós-clássico (900-1200 dC.), mas que pode ter sua origem no Clássico Tardio período.

Modelo 3D da anomalia de resistividade elétrica detectada sob o altar-mor da Igreja de San Pablo. Crédito da imagem: Projeto ARX.
Modelo 3D da anomalia de resistividade elétrica detectada sob o altar-mor da Igreja de San Pablo. Crédito da imagem: Projeto ARX.

Algumas anomalias GPR bastante regulares na área do Patio de las Columnas e do Patio de las Tumbas sugerem a possível existência de estruturas arqueológicas anteriores e uma posição diferente do altar central. Este é apenas o primeiro estudo geofísico do depósito. Os pesquisadores retornarão ao local em setembro de 2023 para outra rodada de pesquisas, na esperança de descobrir mais camadas ocultas de seu passado.

Os resultados foram sintetizados num relatório de investigação entregue ao Conselho de Arqueologia do INAH em janeiro de 2023 e foram divulgados oficialmente pela primeira vez numa conferência de imprensa realizada a 12 de maio de 2023.

Deixe sua opinião nos Comentários!
E compartilhe com seus amigos…

Convidamos você a nos seguir em nossa página no Facebook, para ficar por dentro de todas as novidades que publicamos:

A Chave dos Mistérios Ocultos(clique ou toque para abrir)


Descubra mais sobre A Chave dos Mistérios Ocultos

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.

A Chave dos Mistérios Ocultos
Curiosidades

Deixe um Comentário