A metafísica das dimensões superiores e a verdadeira realidade do Eu Sou.
Categorias:

As múltiplas realidades de João: Capitulo 2

Esta história foi escrita por Thiago Lewandowski especialmente para: A Chave dos Mistérios Ocultos e até certa parte será baseada em alguns fatos reais, porém a maioria é ficção…

Obs.: Quaisquer semelhança com nomes, lugares ou eventos são meras coincidências…

Recomendamos ler o primeiro capítulo(clique aqui).

Alguns dias antes…

Já era tarde da noite, mas especificamente 3hrs da manhã, quando Mara se acorda com os gritos de João:

-Socorro! Socorro!

-O que foi, João? Acorde! diz Mara.

-Tive um pesadelo!

-Da onde esse sangue? Você bateu o nariz? pergunta Mara.

-Sei lá, responde João…

Então Mara limpa João, e os dois voltam a dormir.

No outro dia, João acorda e seu pai vem ajudá-lo a levantar:

-Vai lá fora? pergunta Eduardo.

-Vou! E o Brutus? pergunta João.

-Já tá lá fora no sol com o Bernardo.

-Mas o que aconteceu de madrugada? sua mãe disse que você tava gritando socorro? pergunta Eduardo.

-E o pior que ele acordou com sangue saindo do nariz e da boca! diz Mara que tinha chegado para ajudar Eduardo levar João.

-Pois é; eu sonhei que estava andando por um lugar escuro, tipo um corredor de hospital e algo me dizia para voltar, e de repente começou sair sangue pela boca e nariz, não conseguia respirar, então a mãe me acordou e estava saindo sangue mesmo, kkkkkkkkk… acho que vou empacotar logo, kkkkk.

-Pare de falar bobeira, “pia”, diz Mara.

-Vamos, vamos deixa eu te levar lá fora! Exclama Eduardo.

E o assim seguiu os dias; todos esqueceram aquele estanho episódio!

Até agora…

Capitulo 2: A metafísica das dimensões superiores e a verdadeira realidade do “Eu Sou”
Agora…

João vê através da fresta da porta um “Ser encapuzado” com uma longa capa, que se parecia com um humanoide, a não ser pelo fato que não havia nada dentro do capuz; era uma escuridão infinita; como se houvesse um universo inteiro embaixo do capuz e da capa.

Então João fecha a porta lentamente e se esconde embaixo da cama, e nota que Brutus não está mais ali, e chama sussurrando:

-Brutus, Brutus; onde você tá! Ahh… o que tá acontecendo?

João fica tonto, sente como tivesse várias batidas dentro da cabeça, então ele fecha os olhos por instante, e, quando abre toda aquela sensação ruim vai embora; ele só sente Brutus lambendo seu rosto.

Então João olha para o redor e tudo havia mudado novamente: está como antes: limpo e claro.

João vai até a porta, olha e não vê, mais nenhum sinal do “Ser”, e de ninguém mais; tudo estava vazio, porém João sentia uma alta vibração; como se um sentimento de paz e de amor premiasse todo seu espirito e todo seu ser.

João se dirige ao corredor.

Com receio ele e seu companheiro andam lentamente pelo corredor. Porém toda dor receio e medo vão sumindo a cada passo.

O sol que se expandia através das janelas e tocava João, era pura, pura energia.

João para um momento em frente de uma das janelas, fecha os olhos e pensa:

-Que lugar é esse? É totalmente diferente das dimensões anteriores, aqui tudo vibra em alta energia; só tenho sentimentos elevados, ahh, que bom!

-Vamos Brutus, vamos continuar… Brutus… onde você tá! Brutus, venha!

-De novo, o que tá acontecendo! Não sinto mais você, porém também não sinto nenhum mal, perigo, nada!

Então João sente que precisa continuar; ele chega em uma porta dupla que dá acesso a outro corredor. Antes de atravessá-la, João olha para um relógio acima da porta e pensa:

-Que estranho: os minutos estão passando como se fossem segundos, e as horas passam como minutos, e os segundos… nem posso ver…

Então João chega à conclusão que: nas dimensões superiores o tempo é mais rápido, por causa da alta vibração; ou seja:

Amor, felicidade, paz.

Todos os sentimentos e sensações positivas permeiam essas dimensões, ao contrário das dimensões inferiores, cuja o tempo é lento e quanto mais baixa for a dimensão mais lento o tempo passará…

Assim João atravessa para o outro corredor…

E já de momento ele vê uma velha mulher sentada no banco ao lado direito do corredor, a qual pergunta para João:

-Oi mocinho, o que faz aqui?

João antes mesmo de responder, sente uma vibração extremamente alta vinda daquela Senhora, então João responde:

-Oi, tudo bem? Pois posso dizer que não sei, kkk, não tenho ideia, meu palpite é que estou morto ou quase morto… ah, a senhora não viu um cão por ai?

A mulher dá uma gargalhada e diz:

Você é bem espirituoso meu jovem. É difícil de achar alguém aqui nesse primeiro momento; e respondendo sobre o seu companheiro: ele voltou para sua dimensão física ou 4D(Altura, largura, profundidade, tempo), vamos chamar assim…

-E você está… humm… é posso dizer meio certo, porém você não está morto; ainda…

-Você pode seguir em e entrar em… como você chama mesmo? Ahh… sim! Dimensão mais alta, ou pode voltar para sua família que te aguarda…

-Porém sua vida vai mudar; muitos desafios e dificuldades irão aparecer. A vida para quem segue o caminho da luz não é fácil meu jovem; dor, agonia, tristeza e até desespero, você vai encontrar no decorrer deste caminho, mas sempre haverá muito mais amor e você sabe, o amor cura tudo, o amor é a frequência primordial que permeia, penetra e preenche todo ser que o compreende.

Daí te pergunto:

-João você compreende o que é o amor?

João surpreso por a mulher saber o seu nome, responde:

-Acho que sim, talvez; mais não explicar! Eu só sinto…

A mulher deu um largo sorriso e disse:

-Boa resposta meu caro amigo!

Então diz:

-Posso fazer mais uma pergunta?

-Claro! Diz a mulher…

-Quem é a senhora? Pergunta João.

-“EU SOU”…

Responde a mesma.

-Deus? Pergunta João cheio de contentamento.

A mulher diz:

-E você sabe o que você é?

-O que sua mãe, seu pai, seus cachorros, seu papagaio, aquela arvore que você vê pela janela, a flor que admira, o pássaro que você escuta, enfim tudo o que vive ao seu redor…

-João, você sabe?

Então João sorri e diz:

…-Deus?

-Siga em frente filho, passe pela porta sem medo, lá você verá a verdade, e também terá que se decidir… Vá apresse-se!

Responde a mulher.

João dá forte abraço na mesma e sente uma vibração tão alta, que ele começa a chorar, seu coração vibra em sentimentos de amor que ele nunca sentiu, sua alma se enche de energia pura e acende em uma luz intensa.

A mulher diz:

-Vai filho, vai; e lembre-se: siga sempre o caminho da luz…

João dá um largo sorriso e segue pelo corredor, até que chega a uma porta dupla sobre a qual uma intensa luz emanava e uma vibração tão alta, que ao abrir a porta a alma de João se dissolve na luz.

João se sente suspenso no cosmos, onde seu copo não existe mais, ele é só energia.

Tudo se conecta a ele. João sente uma conexão com cada ser vivo do universo: humanos, animais, arvores, flores, até a água; rochas e montanhas. O próprio planeta terra estava vivo emitido sua própria frequência, assim como o sol e outras estrelas e planetas.

Então João quase decidido a fica ali, começa a sentir uma vibração muito forte e cheia de amor vinda de seus pais e também um sentimento de missão não cumprida.

Nesse momento João decide voltar, e num piscar de olhos ele acorda no mesmo quarto de hospital, com sua mãe e seu pai acariciando seu rosto.

Sua mãe exclama:

-Graças a Deus você voltou!

-É um milagre mesmo… completa seu pai Eduardo.

Brutus pula em cima da cama de João e começa lamber o seu rosto desesperadamente!

-Calma, assim você mata o piá de vez! diz Mara.

-Filho o que aconteceu naquela casa? Tinha sangue para todo os lados, até uma criança desmembrada e toda queimada foi achada e aquele louco que dizia ser seu pai: Jonas, né? foi achado morto e os outros dois desapareceram, o que aconteceu filho?

-Mãe, foi horrível! E nome “Jonas” era falso! O nome verdadeiro daquele desgraçado era Alex, diz João.

Então ele conta todo o acontecido para seus pais…

-Nem pense em contar isso para polícia! Que com certeza eles irão querer te colocar em um hospício! exclama Eduardo.

Chega o médico que fica admirado com a recuperação de João e o manda fazer uma bateria de exames que não acusam nada, porém, em um deles, mostra que o cérebro de João, apesar de ter muitos danos resultantes de sua de sua deficiência, tinha partes em altíssima atividade, o que surpreendeu o especialista.

Após um dia de recuperação João vai ao interrogatório…

Já dentro da sala, o delegado chega e se apresenta. Dentre os muitos títulos que o mesmo apresentou, dois chamaram a atenção, fazendo João se questionar:

-Porque um delegado era formado em parapsicologia e demonologia?

Então João conta uma versão alternativa dos fatos, conforme seu pai aconselhou.

-Tudo bem meu jovem, você passou por um evento bem traumático; pode ir para casa e descansar! fala o delegado.

-Sim senhor e muito obrigado. Responde João.

-Não me chame de senhor, sinto que seremos grandes amigos, meu nome é Tadeu, e, sendo assim, agora que acabamos de montar a versão oficial dos fatos, tá na hora de me contar a versão real!

-O que realmente aconteceu? Eu fui o primeiro a chegar e achei esta filmadora…

O delegado fecha as persianas da sala e liga a filmadora em um computador onde passa as cenas de quando João é arrastado para o salão. Porém a gravação sofre muitas interferências na hora que o “Ser” expõe sua mão através do espelho…

Tadeu, eufórico, pausa a fita e diz:

-João, o que aconteceu depois: A mulher atravessou o espelho? Seu cão matou a mulher também? O que aconteceu com ela e outro homem? Foram sugados pelo espelho? Você viu algo no espelho? Você atravessou o espelho?

-Vamos João! Diga homem! Diga o que aconteceu! O que houve? Eu só quero ajudar… Vamos me conte!!!

João supresso com a situação, decide contar, pois sentia uma vibração positiva vindo daquele homem.

Em detalhes toda a história é contada.

João completa:

“O inferno existe! E não foi criado por Deus ou por qualquer criatura dele, e sim foi criado pelo livre arbítrio dado ao homem, o qual, nunca soube usá-lo corretamente, e assim… ódio, violência, inveja, traição e todos os outros males foram criados e conscientemente: O INFERNO”.

Tadeu supresso, entrega a fita para João e diz:

-Faça o quiser com ela! E vá com Deus, amigo…

-E você fica com ele! Responde João e completa:

-Nós veremos novamente?

-Ahhh, com certeza João! Com certeza amigo…

Continua…

Este livro, é dedicado com muito carinho aos meus pais:

Sônia e Anselmo Lewandowski.

O conteúdo deste artigo não pode ser copiado, distribuído, publicado, reescrito ou usado de qualquer forma, no todo ou em parte, sem permissão prévia do autor...
Copyright © 2021 A Chave dos Mistérios Ocultos. Todos os direitos reservados.

Deixe um Comentário