As enigmáticas cabeças de pedra gigantes localizadas no topo de uma montanha.

As enigmáticas cabeças de pedra gigantes localizadas no topo de uma montanha

Localizado no topo de uma montanha espetacular na região de Adiyaman, cerca de 2.206 metros acima do nível do mar, está o Monte Nemrut.

Nele estão presentes imponentes estátuas de até 10 metros de altura e imponentes cabeças de enorme tamanho…

Quem as construiu?

O que representam?

Como elas chegaram lá?

Vamos dar uma olhada em sua história interessante e misteriosa…

As enigmáticas cabeças de pedra gigantes localizadas no topo de uma montanha.
As enigmáticas cabeças de pedra gigantes localizadas no topo de uma montanha.

Era o ano de 1881 quando Karl Sester, um engenheiro de origem alemã, se deparou com algo impressionante e diferente.

Sester, que estava trabalhando na construção de estradas em Adiyaman para o Império Otomano, havia encontrado as ruínas do Monte Nemrud, uma descoberta de grande importância e soube disso instantaneamente.

É por isso que Karl fez questão de que a Real Academia Prussiana descobrisse o que aconteceu e enviou um especialista ao local para ver do que se tratava.

O designado para esta comissão foi Otto Punchstein que, ao chegar ao local, iniciou as escavações do que foi o mausoléu de Antíoco I Teos, rei do Reino Helenístico Commagene.

Objetivo do Rei Antíoco I Commagene

Por volta de 190 aC, todo o Império Seleutico tinha sido acabado e derrubado pelos romanos. Portanto, o rei do reino de Commagene, Antíoco I Theos, decidiu reunir os gregos, persas e armênios para formar uma “família”.

Objetivo do Rei Antíoco I Commagene.
Antíoco I de Comagena, foi um rei de Comagena, um dos cinco pequenos reinos em que a Síria foi dividida após a queda do Império Selêucida.

Seu propósito era unificar o reino e oferecer segurança à sua linhagem, após ver os resultados desastrosos da guerra.

Conta-se que o rei Antíoco I disse que sua origem era quase divina e que vinha de uma família de homens e deuses imponentes como Mitrídates, Dario o Grande e Alexandre o Grande.

Ele chegou a promulgar leis que alegava emanar diretamente dos deuses.

No entanto, Antíoco queria que seus súditos fossem realmente felizes, então ele decidiu construir um templo que unificaria as crenças e a cultura do lugar.

Este seria o local onde o próprio rei seria enterrado mais tarde, cujo túmulo era adornado com espetaculares estátuas de calcário.

Características do mausoléu

A estrutura circular do mausoléu é conhecida como “hierotheseion” e não tem menos de 159 metros de diâmetro, cercada por três terraços artificiais.

Estes terraços estão orientados para leste, oeste e norte, dependendo da sua posição. Em cada um deles estão enormes estátuas de deuses.

O enigma das cabeças gigantes.
O enigma das cabeças gigantes.

Por que razão?

Podemos ver a resposta no auge desta obra majestosa. E é isso, foi fabricado no Monte Nemrud a mais de 2.200 metros, já que o rei Antíoco queria ficar perto de seus pais deuses.

O que levou ele a pensar assim?

Lembremos que ele estava realmente convencido de que Dario o Grande e Alexandre o Grande (que segundo alguns eram dois deuses em forma humana), eram parte de seus ancestrais.

Curiosamente, a oeste existe uma grande laje com um leão conhecida como “Horóscopo do Rei”, que mostra a conjunção dos planetas Júpiter, Mercúrio e Marte ocorrida em 7 de julho de 62 aC., sobre a constelação de Leão.

A lua também aparece no peito do leão, um objeto celeste que fazia parte daquele show noturno e acima dele a estrela alfa da constelação, que representaria Antíoco I.

Alguns especialistas especulam que essa era a possível data do início de a construção do monumento, outros representando o dia em que foi investido rei pelos romanos.



Confira mais:

O estranho mistério da estátua fúnebre de Inez Clarke

O que há por trás da última e misteriosa porta selada do Templo Padmanabhaswamy

Uma equipe de mergulhadores descobriu um templo submerso da “Atlântida Egípcia”

Arqueólogos descobrem outra Esfinge Enterrada no Templo de Kom Ombo



O enigma das cabeças gigantes

Durante a heresia iconoclasta, alguns fanáticos decidiram derrubar as cabeças das estátuas dos deuses e deixá-las espalhadas pelo chão.

Mas não eram meras cabeças, eram imensas em comparação com o tamanho de um ser humano. Medindo cerca de 7 a 8 metros de altura, qualquer um pareceria minúsculo ao lado delas.

Monte Nemrut
Monte Nemrut.

As cabeças, que hoje estão praticamente no mesmo lugar onde foram abandonadas, representam deuses diferentes.

Divindades como Apollo-Hermes, Tiké de Commagene, Zeus-Oromasdes e Ares-Hércules representadas pelas cabeças de um leão e de uma águia, são algumas das que podem ser apreciadas.

Outra estátua mostra uma cabeça humana que personifica Antíoco de Commagene. Da mesma forma, no terraço voltado para o norte, você pode ver a estátua deste rei perto de Apolo, Ares e Zeus.

Todas as imagens transmitem um ar grego-persa, que foram artisticamente expressos após a conquista de Alexandre.

Destino turístico

Em 1987, as ruínas do Monte Nemrut tornaram-se parte do Patrimônio Mundial da UNESCO. Muitos concluem que as vistas que podem ser apreciadas são de alturas são incomparáveis.

Recriação de como o Monte Nemrut poderia ter sido originalmente com as estátuas em seus tronos.
Recriação de como o Monte Nemrut poderia ter sido originalmente com as estátuas em seus tronos.

Muitos dos visitantes chegam cedo para apreciar o espetacular nascer do sol no local. Para quem gosta de olhar para o passado, este destino é ideal, não só pelas vistas espetaculares, mas também pela atrativa preservação das peças históricas.

O Monte Nemrud revela como nossos ancestrais procuraram imortalizar seus governantes, reis e divindades com estátuas colossais.

E embora agora seja chamada de “velha morada dos deuses”, ela surgiu das ilusões de grandeza e / ou atreves do gênio político de um rei autoproclamado um deus entre os vivos, que o levou a erigir esses gigantes de pedra.

Sem dúvida, um lugar fascinante!

Deixe sua opinião nos Comentários…
Compartilhe com seus amigos…

Deixe um Comentário