A medicina medieval entendeu como o efeito placebo poderia curar.

A medicina medieval entendia que o efeito placebo poderia induzir a autocura

Convidamos você a nos seguir em nossa página no Facebook, para ficar por dentro de todas as novidades que publicamos:

É hora de acabar com o termo “efeito placebo”? Um pesquisador analisando medicamentos medievais questionáveis, que hoje são evitados como placebos, mostrou como os primeiros médicos acionaram o cérebro do paciente para fazer seu corpo se autocurar.

O poder de cura (ou efeito placebo) do beijo de uma mãe

Quando éramos crianças caindo e batendo nos joelhos, um beijo da mãe na rótula muitas vezes fazia a dor se dissipar imediatamente. Sabemos agora que aqueles beijos não eram mágicos e que o “efeito/resposta placebo” estava em jogo.

O efeito mágico dos beijos de uma mãe é um exemplo do efeito placebo em ação. Mãe e Filho de Camille Corot.
O efeito mágico dos beijos de uma mãe é um exemplo do efeito placebo em ação. Mãe e Filho de Camille Corot.

No mundo farmacêutico, isso ocorre quando resultados terapêuticos positivos são derivados de tratamentos inertes como pílulas de açúcar, injeções salinas e beijos de mãe.

Hoje, os placebos são centrais em estudos médicos, onde alguns sujeitos de teste recebem novos medicamentos, enquanto outros recebem um placebo. Os resultados são comparados para avaliar se os novos medicamentos superam o efeito placebo nos pacientes testados.

No entanto, em algumas áreas da medicina, observa-se que os placebos proporcionam melhora clínica aos pacientes.

O aparente poder dos placebos para permitir que o corpo se cure foi discutido em profundidade por psicólogos do século 18, mas agora um novo artigo sobre medicamentos medievais prefere o termo “resposta significativa” a “placebo”.

Os médicos medievais entenderam o efeito placebo

O novo estudo reexaminou três textos médicos medievais, incluindo o Bald's Leechbook, alojado na Biblioteca Britânica, Royal MS 12 D XVII, ff. 20v-21r.
O novo estudo reexaminou três textos médicos medievais, incluindo o Bald’s Leechbook, alojado na Biblioteca Britânica, Royal MS 12 D XVII, ff. 20v-21r.

Por dois séculos, os médicos muitas vezes desconsideraram os tratamentos médicos medievais como placebos. Desde 1800, a palavra placebo geralmente é usada para se referir a tratamentos falsos, mas um novo estudo inverte tudo isso, demonstrando que os médicos medievais tinham um rico entendimento de como aplicar tratamentos às vezes inertes para melhor ajudar seus pacientes a se autocurarem.

O novo estudo realizado por Rebecca Brackmann, professora associada de inglês na Lincoln Memorial University, foi publicado na última edição do University of Chicago Journal Speculum.

O pesquisador reexaminou três textos medievais em inglês: Bald’s Leechbook, Leechbook III e Old English Herbal.

Esses três livros médicos medievais oferecem tratamentos médicos bizarros e estranhos para os padrões de hoje, mas Brackmann quebrou o molde científico e perguntou se o chamado efeito placebo poderia oferecer percepções sobre como o poder do cérebro humano pode curar o corpo.

Odiando clichês, mas sempre fazendo elogios quando devidos, isso é realmente uma demonstração de pensamento inovador.

Freqüentemente, a ciência é estruturada para citar os resultados de pesquisas seguras, revisadas por pares, publicadas anteriormente. Desta vez, porém, Brackmann fez perguntas corajosas e até então informes em seu campo de pesquisa.

Desafiando Paradigmas Científicos Dogmáticos

No estudo, Brackmann escreveu que ela “desafia” as rejeições modernas de respostas placebo na medicina inglesa antiga, mostrando como os placebos “aumentaram as respostas dos pacientes a tratamentos farmacêuticos inertes e ativos”.

Os médicos medievais costumam ser descritos como prescrevendo tratamentos falsos, também chamados de placebos. Village Charlatan por Adriaen Brouwer da década de 1620.
Os médicos medievais costumam ser descritos como prescrevendo tratamentos falsos, também chamados de placebos. Village Charlatan por Adriaen Brouwer da década de 1620.

Para distanciar sua pesquisa do estigma associado à palavra placebo, Brackmann usou o termo “resposta de significado” que foi usado pela primeira vez por Daniel Ellis Moerman, antropólogo médico e etnobotânico americano e professor emérito de antropologia na Universidade de Michigan, em Dearborn.

Moerman é especialista em etnobotânica nativa americana e em como funciona o efeito placebo e, em um artigo de 2018 publicado na Perspectives in Biology and Medicine, ele propôs substituir o termo “efeito placebo” por “resposta significativa”.

Isso porque as pessoas não respondem aos placebos, que são inertes, mas respondem aos “significados” e à intenção que os médicos associam aos tratamentos. Brackmann afirma que a resposta de significado “pode ter um sucesso impressionante” em provocar a autocura.

Quando a medicina medieval muda nosso futuro

Os três textos medievais estudados por Brackmann baseiam-se em remédios anteriores extraídos de textos médicos gregos e romanos. Bald’s Leechbook, por exemplo, foi escrito no século 9 e lista muitas poções e loções para doenças, incluindo múltiplos usos da erva betony.

Representação europeia do médico persa Al-Razi em Gerardus Cremonensis, por volta de 1250.
Representação europeia do médico persa Al-Razi em Gerardus Cremonensis, por volta de 1250.

O texto médico afirmava que esta planta poderia aliviar problemas de diarreia, asma, azia e bexiga, bem como dissolver cálculos renais.

Embora não exista um fragmento de evidência científica para apoiar a eficácia da betonia, em 2020 uma equipe de pesquisadores identificou o que pode ser um novo tratamento para infecções modernas nas páginas mágicas do Bald’s Leechbook.

O texto de 1.000 anos sugere que, para combater a resistência a antibióticos,

“São necessários mais antimicrobianos para tratar os biofilmes bacterianos, que protegem uma infecção dos antibióticos”.

Os princípios gerais de combate às epidemias estão sistematizados no Regimento de preservação da pestilência, do século XIV.
Os princípios gerais de combate às epidemias estão sistematizados no Regimento de preservação da pestilência, do século XIV.

Usando uma receita medieval contendo ingredientes naturais do dia-a-dia, como o alho, o “Bads Eyesalve” foi estudado por pesquisadores da Universidade de Warwick, que descobriram que ele é:

“Eficaz contra cinco bactérias que causam infecções de biofilme nos dias atuais”.



Sugerimos a leitura das seguintes matérias

É possível que um papa medieval tenha feito o 1º Robô?

A “Santa” ou a “Demoníaca” Inquisição?

Discos de Jade, os artefatos antigos e misteriosos encontrados na China

Arte antiga encontrada sob cinzas vulcânicas de 2.000 anos



Abordagem química x cultural

Brackmann concluiu que, para obter uma melhor compreensão da “resposta de significado” do corpo, os pesquisadores devem “ir além do binário simplista de receitas médicas que ‘funcionam’ (pelos padrões biomédicos modernos) e aquelas que não funcionam”.

Horóscopo médico medieval.
Horóscopo médico medieval.

Ela sugere que os pesquisadores devem olhar para os componentes culturais das crenças e compreender que oferecerão novos insights sobre “a interação das práticas de cura química e cultural na experiência corporificada”.

Além disso, ao focar nos “componentes culturais da crença”, Brackmann pensa que um novo tipo de discussão pode ser feito com foco no modo como os tratamentos médicos medievais funcionavam.

Segundo a pesquisadora, essa nova abordagem cultural das medicinas medievais não obriga os cientistas a distinguir os tratamentos nas duas categorias dogmáticas de mágico ou médico.

Brackmann essencialmente fez novas perguntas que quebram a abordagem dualista tradicional do assunto ao unir a magia e a medicina medievais. Esperançosamente, este estudo permitirá uma compreensão mais profunda do efeito placebo.

Veja um documentário sobre o assunto:

(Obs: O vídeo está em inglês; porém você pode ativar as legendas em português. (clique aqui e veja como fazer))

Deixe sua opinião nos Comentários!
E compartilhe com seus amigos…

Convidamos você a nos seguir em nossa página no Facebook, para ficar por dentro de todas as novidades que publicamos:

A Chave dos Mistérios Ocultos(clique ou toque para abrir)

Luana Seretni
Curiosidades

Deixe um Comentário

Перегляньте огляди мобільних казино

Перевірити відгуки про мобільні казино – найпростіший крок. Окрім того, що це один із найважливіших кроків, це також передбачає читання оглядів інших геймерів. Відгуки важливі в будь-якій ситуації, оскільки багато клієнтів діляться своїми знаннями про казино. Однак просто читання відгуків не допоможе вам вирішити, чи це казино є кращим вибором для гри. Тому вам слід дотримуватися всіх інструкцій, викладених у цьому посібнику, щоб дізнатися більше про це мобільне казино.

Рейтинги дають багато інформації про казино https://catalog.sumy.ua/, але це не означає, що їм завжди можна довіряти. Можливо, позитивний відгук про казино був оплачений мінімальними скаргами. Тому необхідне ретельне дослідження, а читання рецензій має бути частиною цього дослідження.

Skip to content