Jornal de 1912 publicou previsão perturbadora sobre o aquecimento global

Não é uma novidade que o consumo de carvão e combustíveis fósseis produza toneladas de dióxido de carbono a cada ano, o que pode elevar significativamente as temperaturas na atmosfera.

No entanto, quando aparece em um jornal há mais de um século, é bastante curioso.

Em 14 de agosto de 1912, um jornal chamado Rodney, Otamatea Times, Waitemata e Kaipara Gazette imprimiu um parágrafo

profético” em sua seção “notas e notícias científicas”.

A breve nota advertia que a atmosfera da Terra estava mudando devido à maneira pela qual as economias do mundo estavam aumentando a produção de combustíveis fósseis.

O consumo de carvão afeta o clima”,

disse o pequeno produtor.

Veja: Em 2040 a civilização humana desaparecerá  –  A maldição de konzo

Porquê o Japão é Chamado de Pais do Sol Nascente

Isto é o que foi escrito no jornal:


OS FORNOS DO MUNDO ESTÃO QUEIMANDO APROXIMADAMENTE 2.000.000.000 DE TONELADAS DE CARVÃO POR ANO.

QUANDO TODO ESSE CARVÃO É QUEIMADO, JUNTANDO-SE AO OXIGÊNIO, ELE ADICIONA APROXIMADAMENTE 7.000.000.000 DE TONELADAS DE DIÓXIDO DE CARBONO À ATMOSFERA ANUALMENTE.

ISSO TENDE A CRIAR UMA CAMADA NO AR DA TERRA QUE AUMENTA SUA TEMPERATURA. O EFEITO PODE SER CONSIDERÁVEL EM ALGUNS SÉCULOS.


É uma explicação incrivelmente breve de como a humanidade contribuiu para o aquecimento da atmosfera da Terra.

No entanto, não foi a primeira vez que o texto foi publicado

Algumas semanas antes, um segmento semelhante em uma edição de março de 1912 da Popular Mechanics foi provavelmente o primeiro a falar nesses termos.

Hoje, apesar do aviso, não mudamos tanto:

Em 2016, o mundo consumiu mais de 5,3 bilhões de toneladas métricas de carvão. A atmosfera da Terra agora tem uma quantidade sem precedentes de CO2.

A concentração aumentou acima de 411 partes por milhão, o nível mais alto em 800.000 anos.

Comente