A sonda InSight decola para Marte no sábado, saiba tudo sobre sua partida

A nave da Nasa não está atrás de vida ou água: vai investigar os terremotos do planeta vermelho e aprender mais sobre sua história de 4,5 bilhões de anos…

A Nasa está de malas prontas de novo. Será lançada da Califórnia na manhã do próximo sábado (5) a sonda InSight, projetada para detectar e analisar os terremotos de Marte. Os dados sismográficos servirão para investigar a crosta, o manto e o núcleo do planeta vermelho – e descobrir no que seu recheio é ou não parecido com o da Terra.

Se tudo der certo, a InSight decolará às 8h15 da manhã (horário de Brasília) a bordo de um foguete Atlas V-401 da base aérea de Vandenberg, no meio do caminho entre São Francisco e Los Angeles, e levará seis meses para chegar a Marte. Será o primeiro lançamento interplanetário na costa oeste dos EUA – boa parte das missões não-tripuladas da Nasa saíram de Cabo Canaveral, na Flórida.

O nome InSight é um trocadilho com a palavra inglesa insight, que não tem uma tradução ideal em português, mas significa algo como “sacada” ou “percepção”. Na verdade, as letras formam o interminável acrônimo Interior Exploration Using Seismic Investigations, Geodesy and Heat Transport (exploração do interior, usando investigação sísmica, geodésica e transporte de calor).

Bruce Banerdt, cientista-chefe da missão, afirmou ao New York Times que a sonda pousará em uma região chamada Elysium Planitia o pedaço mais monótono da superfície de Marte:

Nós escolhemos o mais próximo de um estacionamento de 100 quilômetros que deu para encontrar”.

É provável que não haja montanhas ou sequer pedras no campo de visão do veículo.

O isolamento geográfico é proposital: ao contrário de boa parte dos jipinhos enviados ao planeta vermelho até agora, a InSight não vai lá procurar indícios de água ou vida microscópica. Na verdade, ela não vai procurar nada, porque não tem rodas: a sonda de 625 kg passará toda a duração da missão um ano marciano, o equivalente a 728 dias terrestres em um ponto fixo da superfície, analisando o solo. Nesse caso, a prioridade é garantir um local de pouso seguro e estável. E quanto mais lisa a pista, melhor.

 

Fonte: aqui

Comente