Pesquisadores afirmam que 'antiga tecnologia alienígena' foi descoberta na Sibéria

Pesquisadores afirmam que ‘antiga tecnologia alienígena’ foi descoberta na Sibéria

Convidamos você a nos seguir em nossa página no Facebook, para ficar por dentro de todas as novidades que publicamos:

A tecnologia antiga de outro mundo foi descoberta na Terra?
Os pesquisadores acreditam que sim e realizaram estudos a esse respeito.
Eles se referiram a um mineral que não existe na Terra e do qual os supostos artefatos extraterrestres poderiam ser compostos.

Em 2014, a NASA publicou um estudo sobre a intervenção extraterrestre na história da humanidade, ele examina a possibilidade de que parte da arte rupestre na Terra tenha origem não humana.

Além disso, em 2009, cientistas descobriram na Sibéria um mineral desconhecido que chegou à Terra há 4,5 bilhões de anos, ou seja, quando o sistema solar estava se formando.

Este material raro, mas estranho, foi encontrado em uma caixa obtida no Museu Italiano de História Natural de Florença.

Mineral desconhecido

Segundo uma equipe internacional de pesquisadores liderada por cientistas da Universidade de Princeton, ele chegou à Terra junto com o meteorito Khatyr, que caiu nas montanhas Koryak, no leste da Sibéria.

Khatyrkite é um mineral da classe dos minerais de elementos nativos. Foi descoberto em 1983 nas montanhas Koryak na Rússia.
Khatyrkite é um mineral da classe dos minerais de elementos nativos. Foi descoberto em 1983 nas montanhas Koryak na Rússia.

Quando os cientistas analisaram o mineral, o que os intrigou não foi sua idade, mas sua estrutura atômica.

A estrutura desse mineral nunca havia sido encontrada na natureza, embora tenha sido criada artificialmente em laboratório. Eles são chamados de “quasicristais” porque se parecem com um vidro por fora, mas são notavelmente diferentes dele por dentro.

Os pesquisadores estudaram um pequeno fragmento do mineral, os átomos da matéria foram dispostos em uma ampla variedade de configurações que, de acordo com a compreensão humana da ciência e da composição química, simplesmente não são possíveis na natureza.

Dan Shechtman cientista israelense, professor de Ciência de Materiais no Technion-Instituto de Tecnologia de Israel.
Dan Shechtman cientista israelense, professor de Ciência de Materiais no Technion-Instituto de Tecnologia de Israel.

Os quasicristais têm sua própria história dramática. Dan Shechtman cultivou o primeiro quasicristal em 1982, e a descoberta foi tão controversa que ele simplesmente foi convidado a deixar o laboratório de pesquisa.

Mas a evidência era esmagadora:

Este era um novo tipo de material.

Shechtman recebeu o Prêmio Nobel de Química de 2011 por sua descoberta.

O conceito de quasicristais foi introduzido pela primeira vez em 1984 por Steinhardt e Dov Levin, então na Universidade da Pensilvânia. Quando a equipe descobriu que o meteorito continha esse material misterioso, antigo e intrincado, eles disseram que ele realmente poderia se formar naturalmente.

A estrutura desse mineral nunca havia sido encontrada na natureza
A estrutura desse mineral nunca havia sido encontrada na natureza.

Paul Steinhardt, professor de Ciências Naturais em Princeton, disse:

“Esta descoberta fornece evidências importantes de que quasicristais podem se formar na natureza sob condições astrofísicas e sugere que esta fase da matéria pode permanecer estável por bilhões de anos”.

Tecnicamente, os cientistas descrevem os quasicristais como quasiperiódicos, feitos à mão, não encontrados na tabela periódica.

Embora mostrem um padrão que preenche continuamente toda a massa disponível, eles carecem do que os cientistas e matemáticos chamam de “simetria translacional”.

Quasicristais: prova de vida extraterrestre?

Quasicristais.
Quasicristais.

Ufólogos e cientistas anteriormente supunham que era nessas formas que evidências de vida extraterrestre seriam encontradas. Observando que os quasicristais, sendo uma nova forma de matéria, deveriam ser considerados artefatos de tecnologia extraterrestre criada artificialmente.

No entanto, ninguém foi capaz de explicar como esses quasicristais podem se formar como resultado de processos naturais, e é improvável que alguém o faça.

Sua “simetria proibida” impossibilita que eles se formem naturalmente.

Outros quasicristais conhecidos, além dos encontrados em meteoritos das montanhas Koryak, foram recentemente sintetizados por cientistas em laboratório.

Modelo atómico de um quase-cristal Ag-Al.

Por serem muito duros , com características de baixo atrito e baixa condutividade térmica, os quasicristais são um produto muito útil usado em uma ampla gama de tecnologias de alta velocidade, como revestimentos de aeronaves e caças furtivos.

Em 2017, uma equipe da Caltech Geological and Planetary Science descobriu 35 novos minerais no meteorito Khatyrka.

O diretor do local, Chi Ma, disse que “normalmente não vemos” um metal tão rico em alumínio em rochas espaciais porque o alumínio teria reagido para formar alumina. Ele disse que o meteorito Khatyr foi o único meteorito encontrado contendo alumínio metálico.

Os quasicristais, são como blocos pentagonais, eles não podem ser alinhados de forma tão perfeita quanto os quadrados ou triângulos, mas outras formas atômicas podem ser usadas para preencher as lacunas.
Os quasicristais, são como blocos pentagonais, eles não podem ser alinhados de forma tão perfeita quanto os quadrados ou triângulos, mas outras formas atômicas podem ser usadas para preencher as lacunas.

Um fragmento de meteorito contendo um trio de novos minerais está agora nas mãos do Museu Nacional de História Natural da Smithsonian Institution, que mantém um catálogo de mais de 600.000 espécimes.

Se esse material não tivesse sido criado pela natureza, como alguns afirmam, de onde veio esse material misterioso e como acabou dentro de um antigo meteorito?

Avi Loeb, professor de Harvard, sugeriu que uma possibilidade menos explorada é que nosso universo foi criado no laboratório de uma civilização tecnológica avançada.



Sugerimos a leitura das seguintes matérias

Cristais nunca antes vistos encontrados em poeira de meteorito

Meteorito encontrado na Sibéria contém cristal naturalmente impossível de natureza extraterrestre

Eles encontram uma estrutura de cristal de diamante nunca vista dentro do meteorito “Devil’s Canyon”



Avi Loeb, da Universidade de Harvard
Avi Loeb, da Universidade de Harvard.

Como nosso universo tem uma geometria plana com “energia líquida zero”, uma civilização avançada poderia desenvolver uma tecnologia que criaria um universo bebê do nada usando o tunelamento quântico.

E você caro(a) leitor(a), acha que:

Poderia o material alienígena encontrado no meteorito Khatyr ter sido criado artificialmente milhões ou bilhões de anos atrás por uma antiga civilização de outro mundo?

Fazia parte de uma estrutura tecnológica muito mais complexa?

Deixe sua opinião nos Comentários!
E compartilhe com seus amigos…

Convidamos você a nos seguir em nossa página no Facebook, para ficar por dentro de todas as novidades que publicamos:

A Chave dos Mistérios Ocultos(clique ou toque para abrir)

Luana Seretni
Notícias

Deixe um Comentário

Skip to content