Astrônomos descobrem uma ‘mini lua’ que orbita a Terra por 3 anos

O pequeno asteróide capturado pela gravidade do nosso planeta é chamado “miniluna” e seu nome oficial é 2020 CD3.

Os astrônomos revelam que a “mini-Lua”, é do tamanho de um automóvel e descobriram este objeto celeste orbitando nosso planeta.

Com aproximadamente 1,9 a 3,5 metros de diâmetro, o satélite foi observado na noite de 15 de fevereiro pelos pesquisadores Kacper Wierzchos e Teddy Pruyne, do projeto Catalina Sky Survey (CSS), financiado pela NASA (a agência espacial americana), no estado do Arizona.

E possui um brilho de superfície semelhante aos asteróides do tipo C, que são ricos em carbono.

Foi descoberto com o uso de um telescópio de 1,52 metros no Observatório Mount Lemmon, localizado perto de Tucson por pesquisadores do Catalina.

Os cientistas disseram que a informação é “importante”, porque é apenas o segundo asteroide conhecido a orbitar a Terra, depois do 2006 RH120, também descoberto pelo CSS.

Sua rota sugere que entrou na órbita terrestre há três anos.



O asteroide do fim dos tempos: Apophis! Impactará nosso planeta daqui a dez anos

A inclinação no eixo de um exoplaneta poderia afetar ou extinguir toda vida

Mulher diz ser a dona do Sol por usucapião e quer cobrar pelo seu uso

Numerologista afirma que um apocalipse ira começar dia 23 de abril de 2018

Uma “porta” é descoberta na Antártica, alimentando muitas teorias



Astrônomos descobrem uma 'mini lua' que orbita a Terra por 3 anos

Sky Survey, um projeto da NASA que faz parte do Near Earth Observation Program, que varre os céus em busca de objetos potencialmente perigosos.

O centro de planetas menores do Observatório Astrofísico Smithsonian, que acumula informação sobre os objetos menores do sistema solar, disse que

nenhum vínculo com um objeto artificial foi encontrado”.

Em outras palavras; trata-se, sem qualquer dúvida, de um asteroide capturado pela gravidade terrestre.

A “mini lua” já havia sido observada quatro vezes antes pelos astrônomos Kacper Wierzchos e Teddy Pruynelo; o que foi evidência suficiente para os especialistas confirmarem que está orbitando nosso planeta.

O asteróide foi oficialmente reconhecido e indexado pelo Centro de Planetas Menores da União Astronômica Internacional na terça-feira.

De qualquer forma, as mini luas, como são denominados estes objetos pequenos que orbitam temporariamente a Terra, existem em abundância.

O que é raro é detectá-las, já que seu diâmetro pequeno dificulta seu reconhecimento, além do fato de que acabam escapando da órbita terrestre depois de pouco tempo.

O fato de que o último objeto similar foi reconhecido há 14 anos mostra o quão incomum é a detecção.

Por que os cientistas não notaram?

Embora muitos asteróides passem perto da Terra, os astrônomos geralmente não sabem exatamente onde estão, pois geralmente não emitem muita luz, mesmo quando retém a luz solar.

Apenas um pequeno número de rochas espaciais próximas termina como “mini-luas”.

De fato, em uma simulação de computador de 2012 que incluiu 10 milhões de asteróides virtuais, apenas 18.000 foram capturados na órbita da Terra.

Portanto, as minilunas não são apenas algo difícil de observar, mas também são super raras.

Não é o primeiro
RH120 de 2006
RH120 de 2006

O último asteróide preso na órbita da Terra foi o RH120 de 2006. A rocha espacial, que orbita o Sol e passa perto da Terra a poucas décadas, foi capturada pela gravidade do planeta em junho de 2006 e permaneceu até setembro de 2007, antes de retornar ao sistema solar.

Por enquanto, os astrônomos do Catalina Sky Survey disseram que continuarão monitorando a nova mini lua, pois é uma excelente oportunidade para aprender sobre esses objetos cósmicos.

A Chave dos Mistérios Ocultos

Você já tem a chave, mas terás a coragem de abrir?

Deixe um Comentário