Foi encontrado 65 contêineres gigantes feitos por uma cultura desconhecida

Foi encontrado 65 recipientes gigantes feitos por uma cultura desconhecida

Convidamos você a nos seguir em nossa página no Facebook, para ficar por dentro de todas as novidades que publicamos:

Recipientes gigantes feitos por uma cultura desconhecida continuam a aparecer, desta vez 65 deles foram encontrados na cidade de Assam, na Índia.

Até agora os arqueólogos não conseguiram identificar quem poderia ter feito esses recipientes megalíticos(que é feito ou formado de grandes pedras).

No entanto, os especialistas continuam a investigar para tentar esclarecer o mistério – que já se arrasta há vários anos – em torno destes recipientes antigos.

Porque, além da Índia, esses objetos também foram encontrados na Indonésia e no Laos.

Mas quanto mais recipientes gigantes aparecem, mais cresce o enigma em torno deles, já que são utilizadas apenas algumas hipóteses que tentam explicar o inexplicável.

A que cultura pertencem?
Com que finalidade foram feitas?
Mais interessante, o lugar e a forma como foram colocados foi acidental ou deliberadamente colocado lá?

Os recipientes gigantes pertencem ao período Neolítico

Uma equipe de arqueólogos, membros da Universidade Nacional Australiana (ANU), submeteu os recipientes gigantes a vários testes, tentando estabelecer a que período eles pertencem.

Frascos em Lower Chaikam.
Frascos em Lower Chaikam.

Os resultados obtidos indicam que a datação corresponde a cerca de 8 mil anos durante o Neolítico. Segundo os historiadores, esse período da humanidade foi muito significativo, pois levou ao surgimento dos primeiros povoados.

Da mesma forma, o uso da pecuária e a construção das primeiras cidades conhecidas nas prateleiras da história começaram a ser usadas.

É por isso que este período histórico é considerado tão importante, pois serviu para lançar as bases para futuras civilizações. Assim, os recipientes gigantes foram feitos por alguma cultura antiga, sobre a qual absolutamente nada se sabe hoje.

Os recipientes megalíticos descobertos

Com a nova descoberta feita recentemente em Assam, o número de locais com esses recipientes gigantes sobe para 11.

Inicialmente a descoberta destes misteriosos contentores foi feita em 1929, quando alguns arqueólogos ingleses revelaram a existência de 6 locais diferentes com muitos deles.

Vários anos se passaram antes que a lista desses lugares aumentasse. Isso aconteceu entre 2016 e 2017, enquanto uma expedição estava sendo realizada pelas rotas descritas anteriormente por autoridades inglesas.

Os vasos megalíticos descobertos.
Os vasos megalíticos descobertos.

No meio dessa jornada, os arqueólogos encontraram um novo local com mais desses recipientes.

Então, em 2020, o trabalho de campo foi reiniciado para inspecionar alguns locais que antes não podiam ser investigados em profundidade.

Nicholas Skopal, membro da equipe da Australian National University ( ANU), explicou que eles foram divididos em grades para cobrir essa grande área arborizada.

Como resultado, eles começaram a encontrar novos lugares – até 4 deles – com mais desses recipientes gigantes.

Somando todos os recipientes encontrados nos 11 locais, chega-se a um total de mais de 700 em uma área que abrange cerca de 300 quilômetros quadrados.



Sugerimos a leitura das seguintes matérias

Uma gigantesca “estrada” de pedra aparece sobe sob o Oceano Pacífico

As surpreendentes igrejas construídas em uma só pedra

No Japão, a mítica “Pedra da Morte” rachou e liberou um antigo Demônio



Para possíveis fins funerários

As pistas recolhidas ao longo de todos estes anos sugerem que os recipientes gigantes foram utilizados para fins funerários, possivelmente para ritos funerários religiosos.

Os primeiros a se referirem a esse fato foram os ingleses Mills e Hutton em 1929. Eles mencionaram em seus relatórios que dentro de vários dos enormes recipientes encontraram restos de ossos queimados.

Ursula Violet Graham Bower MBE, foi uma das antropólogas pioneiras em Naga Hills.
Ursula Violet Graham Bower MBE, foi uma das antropólogas pioneiras em Naga Hills.

Algo semelhante foi apontado na época pela antropóloga britânica Úrsula Graham em 1930, depois de terem convivido em meio ao povo Zeme Naga.

Naquela ocasião, os aldeões levantaram uma teoria interessante sobre a origem dos recipientes. Em seus comentários, eles mostraram que a tribo perdida dos Siemi foi quem os projetou para usar em seus rituais funerários.

Eles afirmam ter encontrado restos humanos cremados, bem como vestes e outros materiais dentro dos jarros.

Os recipientes têm formas diferentes, alguns são redondos, outros cilíndricos e altos, há também dois cones. Muitos estão à vista, outros estão meio enterrados.

Em termos de condições, vários estão avariados, mas também há alguns em bom estado de conservação. Um detalhe que chama a atenção tem a ver com a posição em que os recipientes se encontram.

Algumas dos vasos descobertos foram parcialmente ou totalmente enterradas no solo.
Algumas dos vasos descobertos foram parcialmente ou totalmente enterradas no solo.

Todos eles são colocados com a abertura apontando para baixo da montanha, não apenas os 65 encontrados recentemente, mas também os encontrados na Indonésia e no Laos.

Tendo em conta que são quase 800 recipientes e que mais provavelmente serão alcançados em breve, pois ainda há algumas áreas por explorar, os especialistas dizem que o uso que deram foi bastante generalizado.

No momento, temos que esperar pelas respostas que faltam, para ver se esse enigma pode finalmente ser resolvido.

Deixe sua opinião nos Comentários!
E compartilhe com seus amigos…

Convidamos você a nos seguir em nossa página no Facebook, para ficar por dentro de todas as novidades que publicamos:

O Mundo dos Mistérios Ocultos(clique para abrir)

A Chave dos Mistérios Ocultos
Curiosidades

Deixe um Comentário

Skip to content