Código misterioso em antigos templos assírios finalmente decifrado.

Finalmente foi decifrado um código misterioso em antigos templos assírios

Compartilhe esta matéria...
A sequência de símbolos misteriosos foi exibida em templos em vários locais da antiga cidade de Dūr-Šarrukīn, atual Khorsabad, no Iraque.
Até agora, os especialistas não tinham certeza do que representavam.

A sequência de cinco símbolos que formam o código são:

Um leão, uma águia, um touro, uma figueira e um arado

Eles vieram ao mundo moderno por meio de desenhos publicados por escavadores franceses no final do século XIX. Desde então, surgiram várias ideias sobre o que esses símbolos poderiam significar. Por exemplo, foram comparados aos hieróglifos egípcios e entendidos como reflexos do poder imperial.

Os 5 símbolos que representam o nome do Rei Sargão II
Os 5 símbolos que representam o nome do Rei Sargão II.

Procurando resolver o antigo enigma, o Dr. Martin Worthington, da Escola de Línguas, Literaturas e Estudos Culturais do Trinity College Dublin, propôs uma nova solução em um artigo publicado no Boletim das Escolas Americanas de Pesquisa Oriental.

Ele que é especialista nas línguas e civilizações da antiga Mesopotâmia, incluindo as dos babilônios, assírios e sumérios; argumenta que as palavras do quinteto de símbolos contêm, na sequência correta, os sons que soletram a forma assíria do nome de Sargão II, um rei poderoso, um grande conquistador e fundador da mais importante dinastia de governantes assírios; sob o qual o império alcançou seus maiores triunfos.

Nome nas estrelas

Às vezes, o mesmo sítio arqueológico usa apenas três dos símbolos (leão, árvore, arado), que o Dr. Worthington afirma soletrar novamente o nome “Sargão”, seguindo princípios semelhantes.

Antigo Oriente Próximo
Antigo Oriente Próximo.

“O estudo de línguas e culturas antigas é repleto de quebra-cabeças de todos os formatos e tamanhos, mas não é comum no Antigo Oriente Próximo se deparar com símbolos misteriosos na parede de um templo”,

comentou o pesquisador.

Além disso, segundo ele, cada um dos cinco símbolos também pode ser entendido como uma constelação. Assim, o leão representa Leão e a águia representa Áquila (nossas constelações são em grande parte herdadas da Mesopotâmia, através dos gregos, muitas delas são iguais). A figueira é representada pela constelação ‘a mandíbula’ (que não temos hoje), de difícil ilustração, com base no fato de que iṣu (‘árvore’) soa semelhante a isu ‘mandíbula’.

Detalhe de um jarro de alabastro com a inscrição de um leão e o nome e título de Sargão (não visível na foto, mas representado abaixo).
Detalhe de um jarro de alabastro com a inscrição de um leão e o nome e título de Sargão (não visível na foto, mas representado abaixo).

“Ao combinar essas duas características, o efeito dos símbolos foi afirmar que o nome de Sargão estava escrito nos céus, por toda a eternidade, e também associá-lo aos deuses Anu e Enlil, aos quais as constelações em questão estavam ligadas”,

Dr. Martin Worthington explicou.

Berço da civilização

A antiga Mesopotâmia, ou o moderno Iraque e regiões vizinhas, foi o lar de babilônios, assírios, sumérios e outros, e está sendo pesquisada hoje com base em escritos cuneiformes, dos quais existem muitos. Na verdade, a escrita foi provavelmente inventada lá por volta de 3.400 aC.

Uma reconstrução de uma figura do rei Sargão II.
Uma reconstrução de uma figura do rei Sargão II.

Portanto, embora os estudiosos de Sargão não estivessem cientes disso, ao criarem novos símbolos escritos, eles estavam ecoando a história mesopotâmica de mais de mil anos atrás.

“Não posso provar a minha teoria, mas o fato de funcionar tanto para a sequência de cinco símbolos como para a sequência de três símbolos, e de os símbolos também poderem ser entendidos como constelações culturalmente apropriadas, parece-me muito sugestivo. As chances de tudo isso ser um acaso são, com o perdão do trocadilho, astronômicas”,

disse o Dr. Martim Worthington.



Sugerimos a leitura das seguintes matérias

Antigo texto revela que 8 reis que vieram do céu governaram a terra por 241.000 anos

Arqueólogos desenterram antigo Deus Assírio alado no Iraque

Os textos sumérios revelavam o segredo da vida extraterrestre



A entrada do Templo de Sîn escavado na década de 1930 por uma equipe da Universidade de Chicago. O porão saliente acima do qual apareceram os símbolos de Sargão está destacado em vermelho.
A entrada do Templo de Sîn escavado na década de 1930 por uma equipe da Universidade de Chicago. O porão saliente acima do qual apareceram os símbolos de Sargão está destacado em vermelho.

“Esta região do mundo, que inclui o actual Iraque e partes do Irã, Turquia e Síria, é frequentemente chamada de “berço da civilização”. Foi onde nasceram cidades e impérios, e a sua história constitui uma grande parte da história humana. É graças ao hábito mesopotâmico de contar em sessenta que hoje temos 60 minutos numa hora, e diz-se que Abraão (uma figura central em três das principais religiões do mundo) veio da cidade mesopotâmica de Ur”,

concluiu o Dr. Martin Worthington.

Deixe sua opinião nos Comentários!
E compartilhe com seus amigos…

Convidamos você a nos seguir em nossa página no Facebook, para ficar por dentro de todas as novidades que publicamos:

A Chave dos Mistérios Ocultos(clique ou toque para abrir)


Descubra mais sobre A Chave dos Mistérios Ocultos

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.

A Chave dos Mistérios Ocultos
Mistérios

Deixe um Comentário