O mundo oculto sob o gelo da Antártida que esconde criaturas desconhecidas

O mundo oculto sob o gelo da Antártida que esconde “criaturas desconhecidas”

Compartilhe esta matéria...
Sob a espessa camada de gelo antártico muitos segredos podem ser escondidos, explorações recentes que conseguiram perfurar mais de 1 quilômetro de profundidade no gelo, encontraram criaturas desconhecidas pela ciência.
O que mais poderia estar escondido sob o continente branco?

É possível que não apenas uma vida incrível esteja esperando para ser descoberta, mas também os resquícios de um grande passado não registrado pela história oficial.

Localização na Antártica.
Localização na Antártica.

Cientistas descobriram em cavernas derretidas no gelo antártico por vapores vulcânicos, restos de flora e fauna pertencentes a espécies de organismos vivos desconhecidos pela ciência.

Costumávamos pensar na Antártida como um deserto congelado sem vida, mas não é o caso, de acordo com estudos recentes, existe realmente uma enorme diversidade biológica no Pólo Sul, apenas essa flora e fauna vivem principalmente sob o gelo.

Cientistas da Universidade Nacional Australiana descobriram vastos sistemas de cavernas ao redor de um dos vulcões ativos da Antártida (sim, existem vulcões ativos), e a equipe acredita que o clima dentro dessas cavernas pode ser quente o suficiente para sustentar muitas espécies diferentes de animais e plantas.

Um enorme “submundo”

Monte Erebus.
Monte Erebus.

Os pesquisadores estudaram o Monte Erebus, um vulcão ativo na Ilha Ross, e descobriram uma vasta rede de cavernas fundidas no gelo por vapor vulcânico. Depois de examiná-los, os cientistas coletaram amostras de DNA correspondentes a musgos, algas e alguns pequenos invertebrados.

Eles também encontraram várias sequências de DNA que não correspondiam a nenhum organismo conhecido, o que significa que espécies desconhecidas de plantas ou animais ainda podem estar nessas cavernas, esperando para serem descobertas.

Seção transversal da camada de gelo da Antártica entre o Mar de Bellingshausen e a Plataforma de Gelo de Ross.
Seção transversal da camada de gelo da Antártica entre o Mar de Bellingshausen e a Plataforma de Gelo de Ross.

Ceridwen I. Fraser, pesquisadora sênior australiana e biogeógrafa da Universidade de Otago; disse em um comunicado:

“Os resultados do nosso trabalho fornecem uma ideia muito intrigante do que pode estar sob o gelo da Antártica.”

Da próxima vez, os cientistas planejam fazer uma expedição muito mais longa nas profundezas dessas cavernas para tentar encontrar vestígios de misteriosas criaturas antárticas. Alguns pesquisadores sugerem que ecossistemas únicos podem existir nas profundezas dos túneis de gelo.

Fenda, na barreira de Ross (2001).
Fenda, na barreira de Ross (2001).

E isso é só o começo, porque no momento a ciência conhece 15 vulcões ativos no território da Antártica e, provavelmente, cada um deles está rodeado por uma rede de cavernas subglaciais que podem esconder outras espécies ainda não descobertas.

Um mundo cheio de vida

Cientistas da Nova Zelândia perfurando o gelo antártico descobriram um ecossistema subaquático de 500 metros de profundidade.
Cientistas da Nova Zelândia perfurando o gelo antártico descobriram um ecossistema subaquático de 500 metros de profundidade.

Uma equipe de cientistas da Nova Zelândia descobriu o ecossistema 500 metros abaixo do gelo em um suposto estuário, a centenas de quilômetros da borda da plataforma de gelo Ross.

Ao furarem o gelo e entrarem no rio, sua câmara foi invadida por anfípodes, criaturas minúsculas da mesma linhagem das lagostas, caranguejos e ácaros.

Craig Stevens, oceanógrafo físico do National Institute of Water and Atmospheric Research (NIWA), disse em um comunicado:

“Por um tempo, pensamos que havia algo errado com a câmera, mas quando o foco melhorou, notamos um enxame de artrópodes com cerca de 5 mm de tamanho. Fizemos experimentos em outras partes da plataforma de gelo e pensamos que tínhamos as coisas sob controle, mas desta vez houve grandes surpresas. Estávamos pulando para cima e para baixo porque ter todos aqueles animais nadando ao redor de nosso equipamento significa que há claramente um importante ecossistema ali”.

Vida muito abaixo do gelo e sem luz solar

Bem abaixo das plataformas de gelo da Antártida, uma equipe de pesquisadores descobriu dezenas de formas de vida prosperando em um pequeno trecho do fundo do mar, um nível sem precedentes de diversidade de espécies para um ambiente que nunca viu a luz do dia.

Pequenas criaturas encontradas na Antártida.
Pequenas criaturas encontradas na Antártida.

David Barnes, biólogo marinho do British Antarctic Survey, disse em um comunicado:

“Se você tivesse me feito três perguntas no início do manuscrito. Quanta riqueza de vida encontraremos? Não muita. Quão abundante será? Não muito. Como será o seu crescimento? Muito lento. E eu estaria errado em todos os pontos.

Em um ambiente tão escuro e aparentemente inóspito, a equipe encontrou fragmentos de organismos vivos. Quando perceberam que haviam encontrado mais do que esperavam, Claus-Dieter Hillenbrand, um sedimentologista do British Antarctic Survey, recomendou o envio da amostra do fundo do mar para Barnes.

Os pedaços que haviam sido retirados de baixo da plataforma de gelo, quando examinados ao microscópio, eram claramente de animais diferentes.

Ao todo, Barnes identificou 77 espécies diferentes, muito mais do que ele razoavelmente deveria ter encontrado. Esta amostra era ainda mais rica em espécies do que eu esperaria de um estudo da plataforma aberta.

Muitas das espécies identificadas eram briozoários, ou alimentadores de filtro estacionários que muitas vezes se assemelham a um cérebro ou musgo, como Melicerita obliqua e vermes que se alimentam de tubos, como Paralaeospira sicula, entre outros Barnes disse:

“Esta descoberta de tanta vida vivendo nessas condições extremas é uma surpresa completa e nos lembra como a vida marinha antártica é única e especial”.

Criaturas parecidas com camarões em um ecossistema subaquático recém-descoberto abaixo da plataforma de gelo Ross.
Criaturas parecidas com camarões em um ecossistema subaquático recém-descoberto abaixo da plataforma de gelo Ross.

Encontrar uma vida tão rica sob a sempre presente camada de gelo é uma coisa, mas explicar por que existe é outra questão.

Gerhard Kuhn, do Alfred Wegener Institute e líder da pesquisa, disse em um comunicado:

“Apesar de viver de 3 a 9 km do mar aberto mais próximo, um oásis de vida pode ter existido continuamente por quase 6.000 anos sob a plataforma de gelo.”

Barnes disse:

“Este pode ser o habitat menos perturbado da Terra.”

Dra. Ceridwen Fraser.
A equipe AWI usou água quente para perfurar a plataforma de gelo até o fundo do mar.

Enquanto os restos mortais mais antigos tinham 5.800 anos, apenas 20 das centenas de fragmentos foram datados.

Os dados futuros podem muito bem empurrar essa estimativa ainda mais para o passado. Independentemente de quanto tempo existiu, é claro que a vida existe há milênios aqui quase isolada.



Sugerimos a leitura das seguintes matérias

Mapa de sonar do fundo do Mar Antártico revela um “mundo desconhecido” com montanhas e cânions.

Enxame de 85.000 terremotos atinge a Antártida quando um vulcão adormecido desperta

O gelo está derretendo e o segredo oculto da Antártida está vindo à tona

Enxame de 85.000 terremotos atinge a Antártida quando um vulcão adormecido desperta



Veja o vídeo:

(Obs: O vídeo está em inglês; porém você pode ativar as legendas em português. (clique aqui e veja como fazer))

As investigações referentes a essas descobertas feitas na Antártica foram publicadas na revista Science e na Current Biology.

Deixe sua opinião nos Comentários!
E compartilhe com seus amigos…

Convidamos você a nos seguir em nossa página no Facebook, para ficar por dentro de todas as novidades que publicamos:

A Chave dos Mistérios Ocultos(clique ou toque para abrir)


Descubra mais sobre A Chave dos Mistérios Ocultos

Subscribe to get the latest posts sent to your email.

A Chave dos Mistérios Ocultos
Mistérios

Deixe um Comentário