Físico afirma ter prova de que vivemos em um universo paralelo

Embora de difícil comprovação, teorias sobre universos paralelos continuam a prosperar na ciência moderna e a primeira pista concreta sobre a existência deles pode ter sido descoberta.

Físico afirma ter prova de que vivemos em um universo paralelo

Desde que começou a se questionar sobre sua origem e a do mundo que a cerca, a humanidade avançou muito no conhecimento a esse respeito. Foi descoberto que a Terra não era o centro do universo e o Sol não girava em torno dela, mas o contrário.

Depois percebeu que o próprio Sol era apenas uma entre pelo menos 100 bilhões de outras estrelas de uma galáxia que, por sua vez, é uma entre bilhões e bilhões de outras, cada uma com bilhões de astros.

E a mais recentemente descoberta, é a ideia de que talvez nem o universo seja único:

Pode haver um número infinito de outros, um ou vários dos quais iguais ao nosso, com outro você, vivendo uma realidade igual ou diferente desta aqui.



O tempo está acelerando? Um fenômeno misterioso que todos estamos sentindo

O que aconteceria com as religiões se não estivéssemos sozinhos no Universo?

Um estudo em uma criança de 5 anos pode mudar todo planeta

Asteroide reforça a tese de que há um planeta oculto no sistema solar



Em 1954, um jovem estudante da Universidade de Princeton, chamado Hugh Everett III, teve uma ideia radical; que universos paralelos existem, exactamente como o nosso universo.

Hugh Everett III
Hugh Everett III

Esses universos estão todos relacionados aos nossos; de fato, eles se ramificam do nosso, e nosso universo se ramifica dos outros.

Dentro desses universos paralelos, nossas guerras tiveram resultados diferentes do que sabemos. As espécies que se extinguiram em nosso universo evoluíram e se adaptaram em outras. Em outros universos, os humanos se extinguiram.

É verdade que essa teoria pode atordoar sua mente e ainda assim é compreensível.

As noções de universos ou dimensões paralelas que se assemelham às nossas apareceram em obras de ficção científica e foram usadas como explicações para a metafísica.

A mecânica quântica é a teoria que descreve o que ocorre em escala subatômica. Nesse mundo estranho e bizarro, partículas como fótons e elétrons podem ser duas coisas ao mesmo tempo, como partícula e onda.

A mecânica quântica é o território das probabilidades e não dos eventos precisos e exatos, como na física clássica, da Teoria da Relatividade Geral, elaborada por Albert Einstein.

Nesse caso, pode-se determinar a velocidade e a localização da Terra em determinado momento em sua órbita ao redor do Sol.

Sean Carroll
Sean Carroll

Mas por que um físico promissor poderia arriscar sua futura carreira colocando uma teoria sobre universos paralelos?

A resposta é simples:

Porque ele estava convencido disso. E agora, quase 70 anos após a teoria de Everett, o mundo da física teórica está prestes a provar a existência de realidades alternativas.

Vivemos em um universo paralelo?

Físico afirma ter prova de que vivemos em um universo paralelo

O escritor e filósofo Douglas Adams revolucionou a cosmologia quando escreveu sua famosa série

O Guia do Mochileiro das Galáxias“.

Ele tinha muito a dizer sobre a natureza incompreensível da vida, o universo e tudo. O mesmo acontece com o físico teórico Sean Carroll.

O professor de mecânica quântica e cosmologia quer mostrar que de uma vez por todas estamos vivendo em um universo paralelo.

Carroll apresentará todas as evidências em seu novo livro intitulado

Algo Profundamente Escondido: Mundos Quânticos e a Aparência do Espaço-Tempo”.

Físico afirma ter prova de que vivemos em um universo paralelo

Seu argumento aborda o maior mistério da física:

Como o reino quântico é infinitamente estranho e infinitamente pequeno compatível com o universo prático como o conhecemos?

Mas Carroll não está interessado em construir uma ponte entre as duas realidades. Ele quer se livrar da brecha que nos separa.

Até onde sabemos hoje, a mecânica quântica não é apenas uma aproximação à verdade; é a verdade,”

diz Carroll ao portal de notícias Australian News.com.au.

Como diz sua mensagem promocional:

Quais são as chances de um milhão de átomos se agrupar para construir ‘pequenos sacos de ansiedade’ capazes de fazer as grandes perguntas, mas não de respondê-las?”

Físico afirma ter prova de que vivemos em um universo paralelo

Segundo o professor de mecânica quântica e cosmologia, o mundo quântico pode ser definido como partículas de probabilidade.

Cada elemento, como um elétron, pode estar em várias posições possíveis. Cada posição tem uma probabilidade diferente, uma expectativa que só é resolvida quando observada.

Carroll conjectura que o eléctron está realmente em todas as suas posições possíveis. Somente em diferentes universos paralelos.

E sua teoria é uma projecção da mecânica conhecida dos estados quânticos, mundos múltiplos e paralelos devem emergir.

Mas muitas outras coisas estão acontecendo”,

continua Carroll.

Carroll diz que é hora de abordar os problemas gerais do infinito e da cosmologia sob uma nova perspectiva.

Os mecanismos neurais que permitem que nosso cérebro "veja" a realidade do sonho provavelmente são os mesmos que estão em atividade quando imaginamos o futuro. A única diferença é que ao sonhar parece que o que estamos "vendo" é a realidade. "Sonhos são ilusões — neles vemos uma realidade que não existe, mas não conseguimos perceber a diferença entre ela e a vida real.

A física está estagnada tentando entender os fundamentos da natureza e do Big Bang”,

diz o físico.

É hora de recuar e entender seus fundamentos. É hora de abordar nossa compreensão do mundo quântico. Vemos o nosso mundo e temos uma ideia do que está acontecendo.

Exigimos que nossas teorias da física respeitem isso. Mas essa não é a maneira correta de pensar. É o contrário.

Nem todos os mundos que você imagina se tornam realidade. Ainda existem equações, regras físicas, padrões que devem ser obedecidos. Alguns mundos alternativos possíveis podem se tornar realidade.

Mas não todos. O que é possível nem sempre é provável. O que temos empiricamente são probabilidades. Você não pode prever o que acontecerá a seguir. Mas você pode prever a probabilidade.



Sincronicidade: O significado oculto das coincidências

Seria possível que alguém falecido possa falar com você através dos seus sonhos?

Os 5 sonhos mais misteriosos e o seus significados

Perigos durante sonhos lúcidos: A verdade revelada



Visões

E, aparentemente, quando se trata de física quântica, a perspectiva é um problema. A realidade não é necessariamente o que parece.

Físicos gostam de testes. Então, eles tendem a tentar coisas que podem experimentar. Mas, por um longo tempo, não tivemos nenhuma maneira real de investigar reinos quânticos.

Não é sobre preferências. Eles são irrelevantes. O que importa é que você aceite o que as equações prevêem. Agora estamos melhorando nisso. A tecnologia melhorou. Talvez as coisas mudem”,

conclui Carroll.

Carroll está convencido de que vivemos em um universo paralelo e tem evidências para provar isso. Então poderíamos ser as outras “realidades” de nossos próprios “eus”.

Já jogou um jogo de video-game e pensou que é quase impossível distingui-lo do mundo real?

Agora, já pensou se você não está preso em um mundo virtual e não percebeu?

É uma prova da vida após a morte

Essa é a “hipótese da simulação”. E, se por acaso nós estamos vivendo em um mundo virtual programado por seres mais inteligentes e tecnologicamente mais avançados, não há razão para pensarmos que o nosso universo é a única simulação que existe.

Se assim for, podem haver muitas outras simulações de universos, o que torna a hipótese uma variante do multiverso.

Embora talvez seja melhor não responder a certas perguntas.

Existe uma teoria que afirma que, se alguém descobrir exactamente para que serve o universo e por que ele está aqui, ele desaparecerá instantaneamente e será substituído por algo ainda mais estranho e inexplicável.

E você caro leitor acha que vivemos em um universo paralelo?

A Chave dos Mistérios Ocultos

Você já tem a chave, mas terás a coragem de abrir?

Comente