Mulher com sua língua negra e peluda

Uma mulher de 55 anos desenvolveu língua negra pilosa, que deixa o órgão da boca com aparência escura e “peluda”. Temporária, a condição é rara, inofensiva e é um efeito colateral do uso de antibióticos, tabaco ou antipsicóticos.

O caso foi registrado nos Estados Unidos.

A paciente havia sido internada no hospital depois que um acidente que esmagou suas pernas e as feridas acabaram infectadas, fazendo com que os médicos a colocassem para tomar o antibiótico Minociclina por meio de gotejamento intravenoso.

Em apenas uma semana, sua língua ficou escura, e ela relatou sentir naúseas e um gosto ruim.

Apesar da aparência estranha, o que cresce não são pelos. Na verdade, o que acontece são pequenos inchaços das papilas filiformes, que contêm papilas gustativas na parte superior do órgão.

Veja: Médico do CDC alerta: A vacina contra a gripe “desastrosa” está causando um surto mortal de gripe

O escorbuto reaparece e deixa americanos em alerta!

Conheça algumas das mais estranhas e bizarras doenças de um livro de fotografias

O crescimento das filiformes pode ser entre 1 e 18 milímetros de comprimento.

De acordo com o Science Alert, à medida que as papilas crescem, elas prendem pedaços minúsculos de alimentos, permitindo que bactérias e outros micróbios apodreçam tornando a superfície da língua escura.

A condição é muito rara e inofensiva. É mais provável que aconteça com fumantes, com pessoas que têm higiene bucal precária, que usam enxaguantes bucais irritantes, ou que têm problemas de saúde específicos.

Por mais assustador que pareça, é totalmente realmente reversível”,

disse Yasir Hamad, da Universidade Washington, em entrevista à CNN.

Ele examinou mulher, e publicou um estudo sobre o caso no periódico New England Journal of Medicine.

Segundo Hamad, exitem várias maneiras de tratar a condição, como aumentar hidratação e salivação, evitar o tabagismo, usar escova macia na língua e aplicar retinoides tópicos ou ácido salicílico. Em casos extremos, pode haver cirurgia.

No caso da paciente norte-americana, os médicos trocaram o antibiótico de sua medicação. Em quatro semanas, a língua dela voltou ao normal…

 

Fonte: aqui

Comente